Neoenergia dobra de tamanho em transmissão

Investimentos devem-se à estratégia da companhia de aumentar a participação desse segmento em seu portfólio no Brasil

Com o resultado obtido no leilão de transmissão desta quinta-feira, 20 de dezembro, a Neoenergia, empresa controlada pela Iberdrola, mais do que dobrou o tamanho do segmento de transmissão em seu portfólio. A empresa arrematou quatro lotes que somam aportes de R$ 6 bilhões e RAP de pouco mais de R$ 500 milhões. Apesar de ter aparecido com mais expressão no leilão dessa modalidade apenas ao final deste ano, a decisão por investir e se reforçar nesse ramo data de 2017.

Quem conta isso é a representante do grupo Neoenergia presente à entrevista coletiva realizada após o certame, Cristiane da Costa Fernandes, que é a pessoa quem esteve no palco para a tradicional batida de martelo ao final do evento. Ela não soube apontar o volume de projeto que a empresa possui agora, mas disse que é um grande salto para a empresa de mais de 100%. Somente neste certame a companhia conquistou pouco mais de 3 mil quilômetros de novas linhas.

“Essa é uma decisão estratégica da Neoenergia que foi tomada em 2017 e é resultado de nossa meta de aumentar a nossa presença no setor”, comentou a executiva. “A ideia é de melhorar nossa posição e aumentar a participação de transmissão dentro do grupo”, acrescentou.

Para fazer frente a esses projetos, a empresa afirmou ter feito estudos com bancos e avaliado a opções de financiamento. Agora com a efetivação do resultado, a companhia irá voltar à mesa de negociações para fechar os acordos. A executiva não apontou quais os instrumentos serão utilizados, apenas disse que são várias as opções e para cada projeto há uma avaliação individual.

Mesmo quanto a fornecedores ela se mostrou tranquila, mesmo com o alto número de obras desse segmento no país. Para ela, há capacidade de construção e de fornecimento de equipamentos para atender a demanda dos investidores. Ela comentou ainda que a estimativa da Neoenergia é de redução dos valores a serem aplicados nos projetos por conta do conhecimento e da engenharia da empresa, mas não indicou em quanto os pouco mais de R$ 6 bilhões de capex para os quatro projetos será reduzido.