GE lança nova solução de inversor de frequência para usinas solares

Solução em contêiner facilita a logística e otimiza o tempo de instalação dos equipamentos em campo

A Power Conversion, divisão da GE Power, acaba de lançar mais um produto para o mercado de energia solar. A LV5+ Solar Power Station combina um inversor GE LV5+ 1500, com transformador e painel de média tensão isolado a gás e equipamentos para serviços auxiliares. O produto é uma solução para a conversão de energia pronta para ser instalada em plantas de geração solar de grande escala.

Segundo o Líder do Segmento de Solar da Power Conversion, Osmar Guidelli, o fato de todos os componentes estarem embarcados em um único contêiner, facilita a logística e proporciona ganho de tempo em sua instalação e durante o comissionamento. “A única conexão que precisa ser feita em campo são os cabos elétricos”, disse.

A LV5+ Solar Power Station tem potência de 3 MW e foi desenvolvida para aplicações em usinas fotovoltaicas centralizadas. O primeiro passo é fornecer a solução 100% importada e, em 2019, uma versão nacionalizada de acordo com as regras do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para obtenção do código Finame, fundamental para que os clientes obtenham financiamento de longo prazo.

Com vida útil de mais de 20 anos, o inversor de frequência da família LV5 é peça de grande importância em uma usina solar, pois é ele quem converte a energia produzida pelos painéis solares em corrente alternada. De acordo com Guidelli, o produto estará disponível para o mercado em 2019.

A GE está no mercado brasileiro de energia solar desde 2014, quando os primeiros leilões exclusivos para a fonte foram realizados pelo Governo. A empresa deve atingir a marca de 1GW instalado no Brasil no primeiro trimestre de 2019. De acordo com um estudo publicado pela Greener em dezembro de 2018, a GE ocupa o primeiro lugar na lista dos Top 10 Fornecedores de Inversores no Brasil.

A fonte solar ocupa 1% de participação na matriz elétrica brasileira, com 1.613 MW em operação, segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Dados da Bloomberg New Energy Finance (BNEF) apontam que em 2040 a fonte ocupará uma fatia de 32% na matriz elétrica brasileira, alcançado 126 GW em operação.

A cada ano a energia solar fica mais competitiva no país. Dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) mostram que em 2013 o preço médio do megawatt solar vendido foi US$ 103,00. Em 2018, o preço caiu para US$ 35,2/MWh. O Brasil já contratou em leilões 3.680 MW desde 2013.

(Nota da Redação: Conteúdo patrocinado produzido pela equipe da Agência CanalEnergia)