Linhão de Belo Monte volta a funcionar

Bipolo Xingu/Estreito estava indisponível desde 13 de janeiro, após queda de três torres. ONS também reportou a conclusão de testes de comissionamento em duas LTs no Nordeste

Durou oito dias o desligamento do bipolo de corrente contínua de 800 kV Xingu/Estreito, de posse da empresa Belo Monte Transmissora de Energia. O linhão, que estava indisponível desde o último domingo, 13 de janeiro, devido a queda de três torres na divisa dos municípios de Ipameri e Catalão, em Goiás, começou a voltar a funcionar às 06:47 horas, com o Polo 1, tendo seu restabelecimento total registrado às 20:08 horas da última segunda-feira, 21 de janeiro, com o Polo 2. A informação foi publicada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico nesta terça-feira, 22 de janeiro, através do Informativo Preliminar Diário da Operação (IPDO).

Na mesma publicação, o ONS reportou a conclusão do teste de energização das linhas de transmissões de 500 kV Luiz Gonzaga/Juazeiro III e Juazeiro III/Sobradinho, resultado do seccionamento da LT Luiz Gonzaga/Sobradinho C1 na Subestação Juazeiro II.  Segundo o Operador, a inserção da linha irá auxiliar no controle de tensão, além de eliminar ou reduzir a necessidade de geração na UTE Petrolina ou a sobrecarga em caso de contingência de LTs derivadas da subestação.