Diretor da Aneel defende decisão de manter bandeira verde em fevereiro

Pepitone disse que regra de acionamento do mecanismo que reflete o custo de geração de energia foi “estritamente aplicada”

O diretor-geral da Aneel, André Pepitone, defendeu a decisão da agência reguladora de aplicar a bandeira verde em fevereiro, sem custo adicional para o consumidor, mesmo com um cenário de preços em alta e de chuvas abaixo da média histórica. “Não é um voluntarismo da Aneel em acionar [bandeira] verde, amarela ou vermelha. Nós levamos em consideração o nível de armazenamento e o preço. Associado a essas duas variáveis, você tem a regra para acionar a bandeira, e isso é feito com grande precisão no final do mês”, justificou nesta terça-feira, 5 de fevereiro.

A explicação apresentada pela Aneel ao anunciar no fim do mês passado a manutenção da bandeira verde para fevereiro é que o período úmido não acabou e ainda há possibilidade de chuvas. Pepitone repetiu a explicação e disse que a regra foi “estritamente aplicada”.

Mesmo diante da possibilidade concreta de aumento da geração de energia térmica nas próximas semanas, para poupar água dos reservatórios, ele considera “exercício de futurologia” falar nesse momento em mudança de bandeira para março.  O despacho de mais usinas termelétricas pode ser autorizado pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico na reunião desta quarta-feira, 6.