Aneel mantém execução de garantia de empresa do grupo Abengoa

A ATE XIX Transmissora de Energia teve o contrato de concessão de instalações no Nordeste revogado pelo MME

A Agência Nacional de Energia Elétrica rejeitou pedido de efeito suspensivo apresentado pelas empresas ATE XIX Transmissora de Energia, do grupo Abengoa, e Mapfre Seguros Gerais, e manteve a execução da garantia de fiel cumprimento de contrato de concessão arrematado em leilão de transmissão em 2013. O valor da apólice de seguro é de R$ 26,550 milhões.

O contrato previa a construção, operação e manutenção das  linhas de transmissão em 500 kV São João do Piauí – Milagres C2  e Luiz Gonzaga – Milagres II C2, além das subestações Milagres e Luiz Gonzaga, no estado do Piauí. O prazo de entrada em operação comercial era de 36 meses, contados a partir de agosto de 2013.

O empreendimento não foi executado pelo grupo espanhol, que entrou em recuperação judicial. A concessão revogada em 2017 pelo Ministério de Minas e Energia.