Eneva antecipa cronograma de obras da UTE Parnaíba V

Companhia acelerou emissão de garantias financeiras e antecipou em um semestre a entrega do NTP para início dos trabalhos de fechamento do ciclo de Parnaíba I, que agora poderá ter o início de sua execução física no período seco de 2019

A Eneva deu mais um passo à frente para o início de implantação da termelétrica Parnaíba V, obra que representa o fechamento de ciclo de Parnaíba I. O chamado notice to procedure (NTP) foi abreviado pela empresa em seis meses, tendo sido entregue à construtora Techint na última segunda-feira (18). A antecipação de emissão da notificação permitirá à companhia a utilização de todo o período seco de 2019 para atividades de implantação, acelerando a execução física do projeto, vitorioso no último leilão A-6, em 31 de agosto de 2018, e que acrescenta 385 MW de capacidade instalada ao Complexo Parnaíba (MA).

A partir da concessão da outorga para o projeto, emitida pelo Ministério de Minas e Energia no início de fevereiro, a empresa acelerou a emissão das garantias financeiras contratuais, o que possibilitou a antecipação do cronograma do projeto. O prazo de construção previsto no contrato de empreitada global (EPC) firmado com a Techint é de 31 meses.

A Eneva também foi bem sucedida em habilitar a UTE Parnaíba V no Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura (REIDI), garantindo a suspensão da exigência do PIS e Cofins incidentes sobre os bens, serviços e locações incorporados na obra. De acordo com a companhia, o fechamento de ciclo da usina irá demandar R$ 1,2 bilhão de investimentos e não consumirá nenhuma molécula adicional de gás, o que o caracteriza como um projeto de eficiência energética.