Especialistas debatem relação das cidades com a transição energética

Experts brasileiros e holandeses trocarão experiências sobre desafios e oportunidades em resiliência e sustentabilidade

“O papel das cidades na transição energética” é o tema do painel de debates que o Consulado-Geral da Holanda no Rio e a Catavento Consultoria realizam em parceria na próxima quinta-feira, 21 de fevereiro, na sede do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI), localizada no bairro da Gávea, no Rio de Janeiro. O workshop contará com a presença de especialistas brasileiros e holandeses nos temas da transição na matriz energética, mudanças climáticas, digitalização e inovação nas cidades.

O evento será aberto pelo Conselheiro do CEBRI, Jorge Camargo, Coordenador do Núcleo de Energia. A Senior Fellow do Centro, Clarissa Lins, Sócia Fundadora da Catavento, será a moderadora do debate, que também terá a participação de Luis Antonio Landau, Diretor do WRI Cidades, e de Marcelo Porto, Vice Presidente da IBM Cloud Latin America.

As apresentações irão proporcionar análises e debates sobre questões pertinentes e atuais a sociedade, entre elas a redução de emissões de carbono, o aumento da participação das renováveis na matriz energética, a relação das cidades europeias com a sustentabilidade, os principais desafios enfrentados pelas cidades brasileiras, além de assuntos como inovação e descentralização das fontes, engajamento dos cidadãos, digitalização, conectividade e cidades inteligentes.

Veículo elétrico na Holanda

 O Diretor do Projeto de Transição de Energia da província holandesa de Nijmegen, Paul Matthieu, e o Assessor Sênior de Mitigação Climática e Adaptação ao Clima de Arnhem, Hans van Ammers, integrarão o painel “O papel das cidades na formação da transição energética: lições das cidades holandesas”.

Nijmegen foi definida em 2018 como a Capital Verde Europeia pela Comissão da premiação e Matthieu é responsável agora pela formulação de políticas voltadas à transição energética, fornecimento sustentável de energia para residências, transição de gás natural para aquecimento elétrico em edifícios e desenvolvimento de uma nova estação ferroviária sustentável.

Em Arnhem, Hans van Ammers trabalha pela transição para uma sociedade de baixo carbono e a estruturação de uma cidade resiliente ao clima. Em sua visão, a mitigação do clima não é apenas desafio técnico e financeiro, mas também social.

Segundo estimativas do World Urbanization Prospects: The 2018 Revision, cerca de 70% da população mundial estará vivendo nas cidades até 2050. Hoje, é esperado que mais da metade (55%) das pessoas já estejam morando em centros urbanos. Os dados indicam protagonismo potencial que as cidades poderão vir a ter em temas atuais, como a transição energética. E de fato, muitas das cidades já se movimentam na definição de padrões para emissões de poluentes e metas de utilização de energias limpas.

Ao final do workshop, que é restrito a convidados, haverá a criação de um policy paper, documento com recomendações ebaseadas nas discussões realizadas ao longo da jornada de debates, e cuja publicação ficará a cargo da Catavento Consultoria.