Distribuidoras terão de pagar mais de R$ 7 mi por blecaute em 2018

Empresas terão de compensar consumidores por descumprimento de indicadores de qualidade. Apagão foi provocado por falha na subestação Xingu, da BMTE

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica negou pedido de exclusão do apagão ocorrido em março de 2018 dos indicadores de qualidade de 11 distribuidoras do Norte e do Nordeste. As concessionárias dos estados afetados pelo blecaute terão de pagar mais de R$ 7 milhões como compensação a seus consumidores.

Os recursos foram apresentados por Celpa (PA), Celpe (PE), Cemar (MA), Coelba (BA), Cosern (RN), Enel Ceará, Energisa Borborema (PB), Energisa Paraíba, Energisa Sergipe, Energisa Tocantins e Sulgipe (SE).

O desligamento foi provocado por uma falha no disjuntor da subestação Xingu (PA), da Belo Monte Transmissora de Energia, que interrompeu o fornecimento de energia em todos os estados do Nordeste. Na região Norte, Acre e Rondônia, que são supridos pelas usinas do Madeira, e Roraima, que está fora do Sistema Interligado, não foram afetados. A BMTE e o Operador Nacional do Sistema Elétrico foram multados pela Aneel em cerca de R$ 11 milhões.