Enel São Paulo tem prejuízo de R$ 315 milhões em 2018

Receita líquida somou R$ 14,4 bilhões, crescimento de 10,8% em relação à 2017

A Enel Distribuição São Paulo (ex-Eletropaulo) registrou prejuízo de R$ 315,2 milhões em 2018, resultado que é melhor se comparado com as perdas de R$ 876,5 milhões em 2017. A melhora ocorreu, principalmente, em razão da provisão de R$ 1,5 bilhão em 2017 referente ao acordo com a Eletrobras.

A receita líquida somou R$ 14,4 bilhões em 2018, crescimento de 10,8% em relação à 2017. O Ebitda (geração de caixa operacional antes de juros, impostos, amortizações e depreciações) alcançou R$ 1,1 bilhão, queda de 25,8% na comparação com o ano anterior.

No quarto trimestre de 2018, a Enel São Paulo registrou prejuízo de R$ 157,1 milhões, contra R$ 975,4 milhões em igual período do ano anterior. A receita líquida somou R$ 3,44 bilhões (-2,1%) e o Ebtida alcançou R$ 218,3 milhões, queda de 38,7% na comparação trimestral.

A companhia investiu R$ 1,35 bilhão em 2018, sendo R$ 1,25 bilhão investidos com recursos financiados pela Enel, um aumento de 37,9% quando comparado com os valores observados em 2017.

A companhia registrou em 31 de dezembro de 2018 uma dívida bruta, incluindo as obrigações com fundo de pensão, de R$ 5,32 bilhões, montante 12,6% maior em relação a 2017, de R$ 4,73 bilhões. As disponibilidades somaram R$ 941,4 milhões em 2018, ante R$ 601,3 milhões no ano anterior.

“A integração da Enel Distribuição São Paulo ao Grupo Enel está avançando em ritmo acelerado com o objetivo de otimizar a estrutura financeira e o modelo de negócio da companhia, adotando as melhores práticas internacionais. Por meio de um importante programa de investimentos que está sendo realizado para modernizar e digitalizar a rede elétrica em São Paulo, registramos uma diminuição substancial na frequência e duração das interrupções no fornecimento. Olhando para o futuro, seguimos focados na melhoria dos indicadores de qualidade, por meio de tecnologias de ponta, e continuaremos o processo de integração para gerar ainda mais valor para a companhia e seus stakeholders“, escreveu Max Xavier, responsável pela Enel Distribuição São Paulo.