AES Tietê vê movimento de alta nos preços no longo prazo

Após fim de negociações para compra de Alto Sertão 3, empresa pode olhar compra de outros ativos

A AES Tietê vem detectando um indicativo de aumento no preço da energia em contratos nos próximos anos, a partir de 2021. Em teleconferência realizada nesta quarta-feira, 27 de fevereiro, o diretor comercial da empresa, Rogério Jorge revelou que o patamar tradicional de mercado, que variava de R$ 140/ MWh [o período mais longe] a R$ 170/ MWh [o mais perto], com uma média de R$ 150/ MWh, não vem sendo praticado há algum tempo, aumentando os valores. De acordo com ele, tem sido visto preços de R$ 200/ MWh até R$ 220/ MWh para 2020; para 2021 vendas a R$ 185/ MWh e propostas de 190/ MWh e em 2023 valores bem acima de R$ 150/ MWh. “O que a gente vê há bastante tempo são os preços subindo bastante”, afirma.

Segundo ele, o mercado precificou a questão da oferta e da demanda, além da preocupação da segurança dos agentes do setor com a entrega da energia. Outro aspecto levantado por ele que contribui com o aumento dos preços é a situação hidrológica e os níveis dos reservatórios. “Isso tem colocado muita pressão”, observa.

Sobre aquisições, o presidente da empresa , Ítalo Freitas, revelou que ela avalia outras oportunidades após o término das negociações com a Renova Energia para a compra de Alto Sertão 3, que não se concretizou.