EPE inicia estudos de inventário de hidrelétricas reversíveis e aponta 15 usinas no RJ

Projetos levantados nesta primeira etapa do trabalho somam capacidade instalada de pouco mais de 21 GW

Alternativa ainda inédita no mix de projetos de energia existente no país, as hidrelétricas reversíveis podem ser utilizadas futuramente pelo governo como opção para expansão da geração. Um primeiro estudo preliminar para a identificação do mapa dessas usinas no estado do Rio de Janeiro foi produzido pela Empresa de Pesquisa Energética e divulgado na semana passada, revelando a existência de 15 projetos com potencial de desenvolvimento – a maior parte deles abrangendo a região central (11) do estado, além do Norte (2), Noroeste (1) e Sul (1). A capacidade instalada soma pouco mais de 21 GW.

As usinas hidrelétricas reversíveis podem atuar rapidamente em situações de variabilidade de carga no curto prazo, tanto na produção de eletricidade quanto no consumo de excedentes do sistema. São consideradas alternativas mais econômicas e seguras que termelétricas, com benefícios também quanto à qualidade do fornecimento de energia elétrica. “Sua participação na cesta de ofertas da matriz elétrica brasileira poderá constituir, em um futuro próximo, uma opção para garantir uma expansão do sistema elétrico de forma econômica e sustentável”, afirma a EPE no trabalho divulgado recentemente.

Após esse primeiro mapeamento do potencial de implantação de usinas reversíveis no Rio de Janeiro, envolvendo a avaliação socioambiental dos locais a partir da definição de critérios metodológicos, uma segunda etapa de estudos preliminares irá levantar aspectos como arranjo dos projetos, avaliação de impactos e custos de implantação, já com o apoio de uma consultoria externa. A parte final do conjunto de inventário de usinas hidrelétricas reversíveis compreende o detalhamento dos empreendimentos selecionados. Além do inventário no Rio, estudo semelhante será feito no estado de São Paulo.

Por contar com dois reservatórios, em alturas distintas, o estudo preliminar levou em conta usinas reversíveis em locais com características topográficas específicas. Entre elas, uma área mínima de 0,2 km² e um reservatório inferior formado pelo barramento do curso d’água numa faixa de 5 km da extremidade da área do reservatório superior. Outros critérios técnicos, como tempo de geração de 3 horas para todos os aproveitamentos, foram adotados nesta primeira fase do estudo de inventário.