Em RR, ministro fala em garantir estabilidade no suprimento de energia no estado

Bento Albuquerque foi a Boa Vista na última semana e reiterou esforço do governo para licenciamento ambiental do Linhão de Tucuruí

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, cumpriu agenda no estado de Roraima no final da última semana com o objetivo de tratar das propostas para implementação do Linhão de Tucuruí e dos investimentos para melhorias de tecnologia e comunicação no estado. Ao lado do secretário de Energia Elétrica do MME, Ricardo Cyrino, e do governador do estado, Antônio Denarium, ele visitou na última sexta-feira (12) o Palácio do Governo e as instalações da termelétrica Monte Cristo, da empresa Oliveira Energia, importante fonte para o abastecimento energético local.

Na quinta-feira (11), o ministro participou do evento “Ligando o Brasil, Desenvolvendo os Estados”, onde discorreu sobre a prioridade no suprimento de energia em Roraima. “Estamos trabalhando fortemente para garantir a mesma qualidade e estabilidade do suprimento de energia elétrica que se verifica em todo o sistema elétrico brasileiro”, afirmou, ao falar do esforço no licenciamento ambiental do Linhão de Tucuruí – linha de transmissão que vai ligar Boa Vista a Manaus. A LT possui extensão total de cerca de 721 km, em circuito duplo, dos quais cerca de 123 km serão instaladas dentro da terra indígena Waimiri Atroari. Serão implantadas cerca de 1.440 torres, em sua maioria margeando a rodovia BR-174.

O ministro também lembrou que o MME se antecipou e, após recomendação do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, preparou o sistema elétrico de Roraima com geração termelétrica local com qualidade e quantidade suficientes para atender ao estado, garantindo a estabilidade e segurança para o atendimento de energia. Afirmou também que para agosto de 2019 está previsto uma ampliação na geração termelétrica de mais 28,5 MW, o que garantirá o atendimento da demanda máxima, totalizando 245 MW de geração termelétrica local.

Outra ação relevante é a realização do leilão de novas fontes de geração para o estado, buscando substituir a atual geração a diesel por fontes renováveis. Já estão cadastrados 156 empreendimentos para o leilão, agendado para maio de 2019. As novas fontes terão um menor custo, contribuindo para a redução dos combustíveis fósseis na matriz elétrica nacional e reforçando os conceitos de sustentabilidade. A produção de energia renovável deverá se iniciar em 2021, momento que o Operador Nacional do Sistema Elétrico passará a operar o sistema de Roraima, outra importante ação coordenada e viabilizada pela pasta.