ONS: previsão de vazões aumenta em todo o país

À exceção do Nordeste, os volumes de ENA projetados para abril estão na média histórica

A terceira revisão semanal do programa mensal de operação para abril apresentou aumento na previsão de vazões para o período em todo o país. No Nordeste está o único volume de energia natural afluente afastado da média histórica, aumentou de 53% para 57%. No Sudeste/Centro Oeste a estimativa é de encerrar abril em 99% da média de longo termo, no Sul é de 100% e no Norte de 101% da média.
Já a previsão de carga mensal continua no mesmo patamar de expansão quando comparado ao mesmo mês do ano passado com 1,6% de crescimento. Se essa previsão se confirmar chegará a 68.526 MW médios. Essa estimativa reflete a perspectiva de crescimento de 1,8% da demanda no SE/CO, de 3,9% no NE e quedas de 0,5% no Sul e de 0,2% no Norte.
Seguindo as vazões, a projeção de armazenamento operativo dos reservatórios voltou a acelerar o replecionamento dos volumes quando comparado ao esperado sete dias atrás. Nas novas expectativas do Operador do Sistema Elétrico são de 46,1% no SE/CO, de 42,8% no Sul, 57,6% no NE e de 71% no Norte.
Assim como nas últimas semanas o valor do custo marginal de operação para a semana que se inicia no próximo sábado, 20 de abril, mantém equalizado os valores no SE/CO e Sul e do NE e Norte. Os dois primeiros caíram 9,4% para R$ 164,89/MWh sendo R$ 168,59/MWh no patamar pesado, R$ 0,02 a menos no médio e R$ 160,83/MWh no leve. Já nos dois outros submercados continuam zerados os valores.
A programação de despacho térmico a partir do próximo sábado recuou ante esta semana. O volume estabelecido é de 4.249 MW médios. O maior montante ainda é por inflexibilidade com 2.786 MW médios, outros 1.170 MW médios são por ordem de mérito e 293 MW médios por restrição elétrica.