Hospital de Ribeirão Preto projeta economia de R$ 2,2 milhões no ACL

Instituição compara valores pagos à distribuidora no mercado cativo para projetar redução de gastos ao aderir este ano ao ACL

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (HCFMRP-USP) projeta economizar R$ 2,2 milhões com a conta de energia elétrica até o final do ano. Desde janeiro a Instituição aderiu ao mercado livre, e em razão da mudança de fornecedor, a direção estima economizar entre 18% e 25% do valor de pouco mais de R$ 8,8 milhões gastos em 2018. Somente no primeiro trimestre o balanço mostra uma redução de R$ 406 mil.
O contrato com o novo fornecedor tem duração de quatro anos e prevê reajuste anual. Segundo o novo consumidor livre, a adesão veio em decorrência de um estudo realizado acerca dos custos no ACL. De acordo com Benedito Carlos Maciel, superintendente do HCFMRP-USP, o ingresso do Hospital no mercado livre foi discutido com as áreas técnicas e com o suporte de empresas especializadas no assunto. A implantação levou cerca de dois anos, obtendo o aval dos órgãos técnicos e jurídicos do Estado.
A licitação foi aberta em julho do ano passado receber energia em janeiro de 2019. E destacou ainda que, com exceção de algumas empresas de economia mista, o hospital é a primeira instituição pública a ingressar no mercado livre de energia.