Ministro diz que espera algum encaminhamento para o processo de Angra 3 na reunião do PPI

MME, segundo Albuquerque, ainda não tem proposta fechada para abertura do mercado de gás

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou após participar da abertura de evento no MME que espera algum encaminhamento em relação ao processo de contratação de um parceiro para Angra 3, na próxima reunião do conselho do Programa de Parcerias de Investimentos. O processo para a retomada das obras da usina nuclear estará na pauta do encontro do PPI, que deve acontecer na semana que vem, segundo Albuquerque.

“Tomara que a gente possa, no início do segundo semestre, já ter esse modelo preparado e provavelmente com um investidor que vai concluir as obras de Angra 3”, disse o ministro em conversa com jornalistas. As obras da usina estão paralisadas desde 2015, quando surgiram denúncias de corrupção dentro da Operação Lava Jato envolvendo a direção da Eletronuclear e as empresas responsáveis pelas obras civis e pela montagem eletromecânica do empreendimento.

Novo mercado do gás

Albuquerque informou que o MME não tem ainda nenhuma proposta fechada para a abertura do mercado e o barateamento do preço do gás no país. Ele disse que está dialogando com os envolvidos, principalmente as entidades vinculadas ao setor de petróleo, gás e bicombustíveis, e vai levar propostas ao Conselho Nacional de Politica Energética. “Estamos planejando uma reunião do conselho para o início de maio, onde isso vai ser apresentado e discutido, e eu espero que seja aprovado.”

Novamente questionado sobre as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, que falou em choque de preços com a redução pela metade do custo do gás, o ministro repetiu que ainda não sabe de quanto será essa redução. “Estamos trabalhando no sentido de reduzi-lo e isso ai é fruto de trabalho, e não de vontade”, disse, acrescentando que torce para que seja 50% ou mais.

Para o ministro, o objetivo principal da nova proposta de politica para o gás não é acabar com o monopólio da Petrobras, mas dar competitividade ao setor. Albuquerque admitiu que “evidentemente” as mudanças no mercado passam por aí. Ele participou nesta quarta-feira (24) da abertura um workshop sobre o setor de petróleo e gás no auditório do MME.