Mourão sinaliza para CNE que venda da Eletrobras só deve sair em 2020

Em encontro, sindicalistas entregam a vice-presidente estudos técnicos sobre estatal

Membros do Coletivo Nacional dos Eletricitários se reuniram na última quarta-feira, 15 de maio, com o vice-presidente da República, General Hamilton Mourão. No encontro a pauta era a privatização da Eletrobras. Foram entregues ao General estudos e relatórios sobrea a empresa, cujo  modelo de capitalização ainda não está definido. De acordo com o CNE, Mourão teria sinalizado que não via clima para a venda da empresa este ano, sendo a favor de uma discussão ampla do tema e se oferecendo para atuar como interlocutor.

A privatização da Eletrobras está em compasso de espera. O tema precisa ser discutido pela Câmara dos Deputados. Será uma nova discussão, sem aproveitar o projeto debatido em 2018 em comissão especial. Essa nova discussão só deverá ter início após a votação da reforma da presidência.

Segundo o CNE, os estudos têm por objetivo abordar com justificativas técnicas a eficiência e boa performance da estatal, que teria entre 2008 e 2014 entregue cerca de R$ 7 bilhões em dividendos para a União. Corrigidos, eles chegariam a R$ 14,7 bilhões. O CNE também relatou a Mourão no relatório a influência de fundos de investimentos internacionais na empresa.

Mourão teria concordado com os sindicalistas na contrariedade ao uso político que a estatal foi alvo nas últimas décadas. O vice-presidente, que ocupa a presidência interina da república devido a viagem de Jair Bolsonaro aos Estados Unidos, também colocou o gabinete à disposição para receber mais documentos e contribuições sobre o processo de privatização da Eletrobras.