Linhas de transmissão recebem incentivo fiscal do governo

Empreendimentos têm investimentos estimados em R$ 2,4 bilhões

O consórcio Chimarrão conseguiu enquadrar um conjunto linhas de transmissões no Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura (Reidi), de acordo com despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU) nesta quarta-feira, 22 de maio. O Redi prevê a suspensão da contribuição de PIS e Confins na aquisição e contratação de serviços vinculados a projetos de infraestrutura pelo período de cinco anos.

O consórcio formado pelas empresas Cymi Construções e Participações (50%) e Brasil Energia Fundo de Investimentos em Participações Multiestratégia (50%) arrematou em leilão no dia 20 de dezembro de 2018 lote com nove linhas de transmissão e duas subestações que deveriam ser construídas pela Eletrosul, mas que por incapacidade da estatal teve a concessão caducada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e precisou serem relicitados.

De acordo com dados da época do leilão, o consórcio ofereceu um lance de R$ 219,5 milhões ante a RAP máxima de R$ 381 milhões, o que representou um deságio de 42,38%. A previsão era de que os investimentos nos empreendimentos listados abaixo somem pouco mais de R$ 2,4 bilhões.

O lote é formado por:

-LT 525KV Guaíba 3 – Gravataí, com 127 km;
-LT 525KV Santa Vitória do Palmar – Marmeleiro, C2, com 48 km;
-LT 525KV Povo Novo – Guaíba 3, C2, com 245 km;
-LT 525KV Marmeleiro – Povo Novo, C2, com 152 km;
-LT 525KV Nova Santa Rita – Guaíba 3, C2, com 36 km;
-LT 525 kV Candiota – Guaíba 3, CD, C1 e C2, com 2 x 279 km;
-LT 230kV Guaíba 2 – Guaíba 3, C1, com 19 km;
-SE 525/230kV Guaíba 3 – (6+1Res) x 224 MVA;
-SE 525/230 kV Candiota – (6+1Res) x 224 MVA;
-Trechos de LT em 525 kV entre a SE Guaíba 3 e a LT Povo Novo – Nova Santa Rita, C1, com 1 x 4 km;
-Trechos de LT em 230 kV entre a LT 230kV Presidente Médici – Bagé 2 C1 e a SE Candiota 2, com 2 x 2,0 km.