Abraceel pede celeridade na reforma do setor elétrico

Tema já é discutido há mais de 2 anos e ganhou forma durante a gestão do ex-presidente Michel Temer

A Associação Brasileira de Comercializadores de Energia (Abraceel) pediu celeridade ao governo na implementação das ações para modernização das regras comerciais do setor elétrico. Reginaldo Medeiros, presidente da entidade, pediu que a reforma seja feita o “mais rápido possível”, uma vez que ficar “protelando as decisões faz com que o país não viva uma nova era de mais competição e maior participação do consumidor”.

“Esse tema está parado no Congresso Nacional e precisamos que seja encontrada uma solução rápida”, disse o executivo durante participação no Ethanol Summit, evento realizado em São Paulo voltado para energia e produtos de origem na cana de açúcar, nesta segunda-feira, 17 de junho.

“O que se precisa são decisões que possam atrair investimento e que se possa levar para a sociedade uma energia mais batera. A reforma do setor sempre foi tratada como uma coisa do setor, mas ela muito mais ampla que isso. Na medida que se permitir ter energia mais barata para o consumidor, isso tratará mais competitividade para economia”, disse Medeiros.

O Ministério de Minas e Energia criou um grupo de trabalho para estudar as propostas da Consulta Pública nº 33, documento elaborado durante a gestão do ex-presidente Michel Temer. A previsão da equipe do MME é que em até 90 dias as primeiras decisões deverão ser apresentadas para o mercado. O tema já é discutido há mais de 2 anos.