Investimentos globais em armazenameto devem somar US$ 660 bi até 2040

Estudo da BNEF aponta a possibilidade de alcançar volume de 3 TWh em capacidade com a tendência de queda dos preços das baterias em até 50%

Os investimentos em instalações de sistemas de armazenamento de energia em todo o mundo deverão crescer exponencialmente de um volume entre 9 GWh a 17 GWh para algo entre 1,1 a 2,8 TWh até 2040. A previsão consta do mais recente estudo realizado pela BloombergNEF (BNEF), divulgado nesta quarta-feira, 31 de julho. O valor do investimento poderá alcançar US$ 662 bilhões e será possível em decorrência da acentuada queda dos custos das baterias de íon-lítio. No período de 2010 a 2018 a redução foi de 85%.
O estudo, intitulado Energy Storage Outlook 2019, projeta uma redução adicional de 50% do custo da bateria por quilowatt-hora em 2030 quando a demanda crescer em dois mercados diferentes: armazenamento estacionário e veículos elétricos. O relatório continua a modelar o impacto disso em um sistema global de eletricidade cada vez mais penetrado por energia eólica e solar de baixo custo.
A análise da BNEF sugere que baterias mais baratas podem ser usadas cada vez mais em diferentes aplicações. Entre estas estão o deslocamento de energia quando há muita eólica e solar no sistema e que podem causar pico no sistema bem como para clientes que querem comprar a energia em horário mais barato para despachar em outro período.
De acordo com o chefe para o segmento de armazenamento de energia da BNEF, Logan Goldie-Scot, no curto prazo, a combinação entre renováveis e baterias, especialmente a solar, se transformará no maior direcionador para o uso desses dispositivos. Para o analista está é uma nova era de renováveis despacháveis, baseada em novas estruturas de contrato entre o desenvolvedor e o sistema elétrico.
Apenas 10 países estão em vias de representar quase três quartos do mercado global em termos de GW, de acordo com a previsão da BNEF. A Coréia do Sul é o principal mercado em 2019, mas em breve cederá essa posição, com a China e os EUA à frente até 2040. Os demais mercados importantes incluem Índia, Alemanha, América Latina, Sudeste Asiático, França, Austrália e Reino Unido.
Segundo a BNEF, há uma transição fundamental no desenvolvimento do sistema de energia e setor de transporte. Os custos de vento, solar e bateria decrescentes significam que a energia eólica e solar serão responsáveis ​​por quase 40% da eletricidade mundial em 2040, ante cerca de 7% atuais. Enquanto isso, os veículos elétricos de passageiros podem se tornar um terço da frota mundial de veículos de passageiros até 2040, contra menos de 0,5%, acrescentando grande escala ao setor de fabricação de baterias. Além disso, a demanda por armazenamento aumentará para equilibrar a maior proporção de geração variável e renovável no sistema elétrico. As baterias serão cada vez mais escolhidas para gerenciar esse mix dinâmico de oferta e demanda.
A demanda total por baterias dos setores de armazenamento estacionário e transporte elétrico está prevista para ser 4,6 TWh em 2040, proporcionando uma grande oportunidade para fabricantes de baterias e mineradoras de metais componentes, como lítio, cobalto e níquel.