ONS propõe metodologia para avaliar despacho fora da ordem de mérito

Proposta foi feita durante reunião do CMSE e será alvo de reuniões técnicas

O Operador Nacional do Sistema Elétrico apresentou proposta de metodologia para avaliação da necessidade do despacho termelétrico fora da ordem de mérito. A proposta, apresentada durante a reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, aborda principalmente a definição de curvas referenciais de armazenamento para o subsistema Sudeste/Centro-Oeste, bem como critérios para definição do início de acionamento e desligamento da geração termelétrica complementar, de forma a respaldar as decisões do CMSE e agregar maior previsibilidade ao processo.

Segundo o Ministério de Minas e Energia, serão realizadas reuniões técnicas para aprimoramento da proposta e em breve o tema será novamente apresentado ao CMSE. Além da proposta, durante a reunião foram avaliadas as condições do Sistema Interligado Nacional.

Em relação a afluência, no mês de agosto, a precipitação ficou acima da média histórica apenas na bacia do rio Paraíba do Sul, e as demais bacias hidrográficas de interesse do SIN apresentaram anomalia negativa de precipitação. Em relação à Energia Natural Afluente – ENA bruta, foram verificados valores abaixo da média histórica em todos os subsistemas. Nos próximos dias, há previsão de chuva fraca entre o norte do Paraná e o sul de São Paulo e no Rio Grande do Sul.

Quanto a energia armazenada, no mês passado, foram verificados armazenamentos equivalentes de 39,3%, 53,7%, 48,6% e 64,5% nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste, Sul, Nordeste e Norte, respectivamente, e a previsão para o final do mês de setembro nesses subsistemas é de 32,7%, 48,3%, 43,2% e 48,3%, respectivamente.

O CMSE também celebrou a marca de 100 GW hidrelétricos alcançada com a entrada em operação da 15ª turbina da hidrelétrica Belo Monte. As hidrelétricas representam 59,8% da matriz. Também foi destacada a entrada em operação comercial do segundo bipolo, de 800 kV, que vai escoar a energia da região Norte e de Belo Monte para o Sudeste.

A expansão do SIN verificada em agosto foi de 699 MW de capacidade instalada de geração de energia elétrica e 5.147 km de linhas de transmissão. Em 2019, a expansão do sistema, até agosto, totalizou 4.050 MW de capacidade instalada de geração, 7.437 km de linhas de transmissão e 9.772 MVA de capacidade de transformação.

O CMSE recomendou ainda que Brasília seja atendida pelos mesmos critérios de atendimento às demais capitais do país no suprimento. A recomendação veio depois da análise sobre o atendimento de energia na capital federal, que considerou que as condições de suprimento melhoraram muito em função da implantação das obras de transmissão e também de grande parte das obras de distribuição indicadas em 2012, além da melhoria da gestão da distribuidora, em conformidade com plano da Aneel.