Abren é instalada oficialmente em Brasília

Associação vai representar investidores em usinas WTE e fabricantes de equipamentos

Empresários, parlamentares, representantes de instituições e técnicos do setor participaram na última terça-feira (24), em Brasília, do lançamento oficial da Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos (Abren). A associação foi criada para impulsionar o uso de tecnologias de recuperação energética de resíduos sólidos urbanos no Brasil, com o objetivo de gerar energia elétrica em usinas Waste-To-Energy (WTE).

O presidente da Abren, Yuri Schmitke, lembra que o país produz cerca de 80 milhões de toneladas de resíduos por ano, o suficiente para ocupar mais de 220 estádios de futebol. Esses resíduos, afirma Schmitke, são depositados em aterros e lixões, com risco elevado de contaminação do solo e da água, e emissão de quantidade significativa de gases de efeito estufa na atmosfera. A Abren pretende representar e certificar empresas e fabricantes de equipamentos de recuperação energética, reciclagem e logística reversa, promover eventos institucionais, acadêmicos, P&D e buscar por soluções legais e regulatórias para o desenvolvimento de uma indústria sustentável e integrada de resíduos no Brasil. Além do presidente, a equipe da Abren será composta por Sérgio Costa (vice-presidente), Claudio Girardi (diretor Jurídico), Alcione Teixeira (secretária), Carlos Eduardo (diretor Técnico), Adilson Teixeira ( diretor Financeiro) e Cristianne Teixeira (diretora de Relações Governamentais).

O lançamento reuniu um público superior a 200 pessoas, segundo os organizadores. Entre elas estavam o deputado federal Arnaldo Jardim (Cidadania-SP); o Embaixador da Itália no Brasil, Antônio Bernardini; Alessandro Amadio, representante da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido); Everardo Ribeiro Gueiros Filho, Secretário de Projetos Especiais do Distrito Federal; Ruy Coutinho, Secretário de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal; Ronaldo Nogueira, presidente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa); e Roberta Maas dos Anjos, presidente da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan). As tecnologias WTE serão apresentadas pela Abren em workshop marcado para 17 de outubro no Ministério de Minas e Energia.