Mercado consumidor da EDP Brasil se mantém estável no 3º trimestre de 2019

Demanda variou 0,1%, totalizando 6.170 GWh, enquanto o número de clientes subiu 2,1%, chegando a 3,49 milhões de unidades

O consumo de energia elétrica nas áreas de concessão do Grupo EDP Brasil, abrangendo parte do estado de São Paulo e todo o estado do Espírito Santos, se manteve praticamente estável no terceiro trimestre de 2019, comparado ao mesmo período do ano passado. A demanda variou 0,1% para cima, totalizando 6.170 GWh, enquanto o número de clientes da empresa subiu 2,1%, chegando a cerca de 3,49 milhões de unidades consumidoras. Na análise do consumo anual, pegando de janeiro a setembro, a performance se mostra mais robusta, com um crescimento de 2,6% frente aos mesmos nove meses do ano passado e 19.115 GWh consumidos. Responsável por 46% da demanda do Grupo, a classe industrial registra queda de 0,1% no ano.

Em comunicado divulgado ao mercado nesta quarta-feira para divulgar os resultados, a EDP Brasil diz que os números do mercado de energia distribuída refletem “o efeito negativo da desaceleração da produção industrial, apesar dos sinais de recuperação do comércio e do aumento do consumo das famílias, que foram impulsionados pelos níveis mais baixos de inflação e de taxas de juros”. Ainda de acordo com a holding, o maior número de dias médios faturados também contribuiu para o resultado geral de estagnação na demanda por energia no terceiro trimestre do ano. Na EDP SP, maior empresa do Grupo, a queda no consumo entre julho e setembro foi de 0,2%, enquanto a EDP ES apresentou um aumento de consumo de 0,6% no período.

No caso da distribuidora paulista, a queda no trimestre foi impactada principalmente pela redução de 4,7% na demanda industrial, decorrente principalmente pelas variações no consumo dos clientes com autoprodução e pela mudança de classe por parte de três clientes, que passaram de Industrial para Serviço Público. O segmento de residências e de comércio na EDP SP cresceu, respectivamente, 4,3% e 4,9% no trimestre. Já na EDP ES, a retração de 0,6% do consumo industrial do estado não impediu um crescimento global do consumo no último trimestre, muito por conta da expansão apresentada pelas residências (3,4%). O consumo do segmento comercial no Espírito Santo recuou 3,2%, influenciado pela migração de um importante cliente para a classe industrial.

Geração

A venda consolidada de geração da EDP Brasil, que conta com um portfólio de ativos hidrelétricos e termelétricos, cresceu 30,9% no trimestre julho-setembro comparado ao mesmo período de 2018, alcançando 5.014 GWh nos três meses deste ano. O volume de energia vendida pelas usinas hídricas, considerando as empresas consolidadas, foi de 2.998,9 GWh, aumento de 64,8% no trimestre. O resultado se deve ao maior volume de energia vendida em Energest (+769,2 GWh) e pela usina de Lajeado (+572,5 GWh). O volume de energia comercializada totalizou 3.908 GWh no trimestre, queda de 23,2%. A redução decorre principalmente do menor número de operações entre os agentes, em função da diminuição da liquidez no mercado livre.