Petrobras registra lucro líquido de R$ 9,1 bilhão no terceiro trimestre

Área de Gás e Energia passou de prejuízo de R$ 808 milhões de julho a setembro de 2018 para um lucro de R$ 783 milhões este ano

A Petrobras encerrou o terceiro trimestre do ano registrando um lucro líquido de R$ 9,087 bilhões, resultado 36,8% acima do verificado no mesmo período do ano passado, quando o lucro alcançou R$ 6,644 bilhões. Considerando o acumulado nos nove primeiros meses de 2019 frente a igual período de 2018, o salto observado no lucro líquido foi de 35,1%, passando de R$ 23,677 bilhões no ano anterior para R$ 31,984 bilhões agora. De acordo com o balanço financeiro do último trimestre divulgado pela companhia na noite da última quinta-feira (25), o EBTIDA ajustado variou positivamente em 9,1 no corte trimestral, chegando a R$ 32,582 bilhões no período julho-setembro de 2019.

A empresa contabilizou no terceiro trimestre deste ano um resultado financeiro negativo de R$ 10,874 bilhões, 75,3% pior que o apurado no mesmo trimestre de 2018. A dívida líquida da petroleira também cresceu em 7,6%, considerando aí o consolidado janeiro-setembro entre 2018 e 2019. Ao final de setembro deste ano, a dívida líquida da empresa totalizava pouco mais de R$ 314 bilhões. Queda relevante foi também registrada nos investimentos que a companhia fez no terceiro trimestre, que caíram 33,2% e fecharam em US$ 2,612 bilhões no período de julho a setembro deste ano. No segmento de Gás e Energia, os investimentos totalizaram US$ 0,2 bilhão no trimestre.

A área de Gás e Energia passou de um prejuízo de R$ 808 milhões no terceiro trimestre do ano passado para um lucro de R$ 783 milhões em igual período deste ano. O EBITDA ajustado trimestral, que em 2018 fechou negativo em R$ 674 milhões, fechou positivo em R$ 1,974 bilhão em 2019. De acordo com o balanço, o lucro bruto R$ 3,673 bilhões foi inferior em relação ao segundo trimestre deste ano em função de menores margens nas operações de comercialização de energia no mercado livre, decorrente do aumento do Preço de Liquidação das Diferenças, aumentando os custos de liquidação dos contratos de venda firmados na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica.