Reestruturação de transmissora é aprovada pela Aneel

Mudanças internas entre os sócios foram feitas em razão da recuperação judicial de uma das empresas participantes

A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou a reestruturação societária da Empresa Transmissora de Energia do Pará, responsável pela LT Vila do Conde – Tomé-Açu C2 (125 km), pela subestação Tomé-Açu e por um trecho de linha que vai da subestação ao seccionamento da LT Vila do Conde – Miltônia.

A operação foi feita por etapas, com  a transferência da totalidade das ações detidas pela Primus Incorporação e Construção, que estava em recuperação judicial, para a RGPAR Participações e Consultoria Empresarial. Em seguida, foi feita a transferência de parte das ações da RGPAR para a Disbenop Distribuidora de Bebidas e, posteriormente, a transferência das ações detidas pela Malv Empreendimentos e Participações e pela RGPAR para a Athivalog Logística.

O consórcio original, que arrematou a concessão em leilão em abril de 2017, era formado pelas empresas Malv Empreendimentos e Participações, Primus Incorporação e Construção e Disbenop Distribuidora de Bebidas. A Etepa informou que a mudança na composição da empresa foi iniciada em razão do processo iminente de recuperação judicial da Primus, que foi instaurado em 2019. A movimentação não afeta o processo de implantação do empreendimento, que tem avançado dentro dos marcos previstos, segundo a Aneel, além de trazer mais segurança e robustez ao projeto.