Modernização do setor elétrico mobiliza 2,5 mil pessoas em seminário

XXV SNPTEE apresentou 500 trabalhos técnicos e tendências tecnológicas, reunindo diversos agentes para debater integração do setor

Debater a modernização do setor elétrico, apresentar tendências e integrar produtores e transmissores da área de energia. Com esse objetivoBelo Horizonte recebeu, na semana passada, grandes profissionais do ramo durante o XXV Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica (SNPTEE). O evento, promovido pelo CIGRE-Brasil e coordenado pela Cemig, é considerado o maior e mais importante seminário do setor elétrico brasileiro.

Em quatro dias, aproximadamente 2,5 mil pessoas reuniram-se para analisar as tendências e os impactos das novas tecnologias na rotina de quem atua na área, além de promover a integração e estabelecer networking entre os profissionais. Durante esse período, foram apresentados mais de 500 trabalhos técnicos e realizadas inúmeras discussões sobre a área, espalhadas pelos 16 grupos de estudo do seminário. A modernização do setor foi a principal pauta debatida na ocasião.

Diante do cenário de rápida transformação para o segmento, o presidente do Conselho de Administração do CIGRE-Brasil, Josias Matos Araujo, destacou a necessidade de constante evolução dos profissionais da área. “Temos que repensar nossas empresas, nossos processos, nossa forma de trabalhar para seguirmos fortes nesse segmento tão importante para a sociedade”, pontuou.

Para o diretor da Aneel, Sandoval Feitosa, o SNPTEE é importante por reunir diversos atores em favor do desenvolvimento do setor elétrico e que nesse ano, houve a oportunidade de conversar com os formuladores de políticas públicas, com as principais concessionárias de serviços públicos e seus fornecedores na área de energia elétrica. “Nesse sentido, a presença do órgão regulador foi propícia para identificar as tendências tecnológicas e regulatórias da área, que estarão em evidência no Brasil”, afirmou.

Destaques

O evento contou pela primeira vez com o chamado Encontro de CEOs, que reuniu as principais lideranças empresariais do setor para debater temas fundamentais à área de energia elétrica, como as tendências apontadas pela 4ª Revolução Industrial, a chamada Indústria 4.0, e seus impactos nos negócios das organizações.

De acordo com o superintendente de Planejamento e Operação de Geração e Transmissão da Cemig e coordenador-geral do 25º SNPTEE, Nelson Benício Marques Araújo, o I Encontro de CEOs cumpriu sua missão. “As lideranças puderam traçar planos em conjunto e ter um panorama mais realista da área. Foram mais de 50 representantes de diversos segmentos, que tiveram um único objetivo: o desenvolvimento dos principais segmentos do ramo de energia elétrica no Brasil”, destacou.

O seminário também deu espaço aos jovens e às mulheres por meio de dois encontros. Em relação aos iniciantes na área de energia, o II Fórum de Jovens buscou analisar os desafios da inserção de novos profissionais diante das transformações no setor elétrico. Por sua vez, o II Fórum de Mulheres voltou as atenções para a valorização das profissionais da área, que já ocupam 22% dos empregos em energia elétrica em todo o mundo, segundo dados da Agência Internacional de Energia Renovável (Irena).

Na edição do Fórum de Mulheres, participaram a diretora da Aneel, Elisa Bastos Silva, a vice-presidência da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), Solange David, a doutora em engenharia elétrica e professora associada da Universidade Federal do ABC (UFABC), Patrícia Teixeira Leite, e Adriana Martins, engenheira da Cemig.

Depois de retornar a Belo Horizonte após 30 anos, o evento bianual segue sua jornada itinerante, com a próxima sede já confirmada. Em 2021, o XXVI SNPTEE será realizado na cidade do Rio de Janeiro, sob a coordenação de Furnas. Na ocasião, o seminário, já tradicional no calendário do setor, comemorará 50 anos de história.