Produção no Pré-sal cresce 4,6% em outubro, diz ANP

Aumento em relação ao ano anterior é de 30% e maior aproveitamento de gás natural deriva do comissionamento das plataformas P-76 e P-77 no campo de Búzios

A produção do Pré-sal brasileiro em outubro aumentou 4,6% em relação a setembro, movimentando 2,394 milhões de barris de óleo equivalente por dia (MMboe/d), sendo 1,905 milhões de barris de petróleo por dia e 77,6 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural. Em relação a outubro de 2018, o acréscimo foi de 30,1%. As informações derivam do Boletim Mensal da Produção de Petróleo e Gás Natural da Agência Nacional do Petróleo (ANP), que também aponta uma produção oriunda a partir de 111 poços, e correspondendo a 63,1% do total produzido no país.

Segundo o boletim, o mês de outubro totalizou 3,792 MMboe/d, sendo aproximadamente 2,964 MMbbl/d de petróleo e 132 MMm³/d de gás natural. Para o petróleo foi registrado aumento de 1,3% em relação ao mês anterior e de 13,4% na análise anual, enquanto o gás mostrou crescimento de 2,1% antes setembro e de 12,4% na comparação com o mesmo período do ano passado

Aproveitamento do gás natural

O aproveitamento de gás natural no mês foi de 97,3% no período, sendo disponibilizados ao mercado 66,7 MMm³/dia. A queima de gás no mês foi de 3,508 MMm³/d, incremento de 7,1% se comparada ao mês anterior e de 16,3% na relação anual. De acordo com a Agência, o principal motivo para o aumento é o comissionamento das unidades de produção P-76 e P-77 no campo de Búzios, procedimento fundamental para a posterior operação destas unidades em condições seguras.

Campos produtores

Lula, na Bacia de Santos, foi o campo que mais produziu petróleo e gás natural, mostrando médias de 1,022 MMbbl/d e de 43 MMm3/d. Os campos marítimos produziram 96,5% do petróleo e 80,3% do gás, e os campos operados pela Petrobras prospectaram 92,9% de ambos. Já na participação exclusiva da petroleira, foram 42,1% do total. A produção nacional ocorreu em 7.221 poços, sendo 653 marítimos e 6.568 terrestres.