Bahia quer mapear potencial energético da biomassa e dos resíduos

Estado quer continuar na liderando a geração de energia renovável

O secretário de Infraestrutura do Estado da Bahia, Marcus Cavalcanti, disse que lançou um desafio para o Senai Cimatec para mapear o potencial energético da biomassa no agronegócio e dos resíduos em aterros sanitários, tanto para produção de eletricidade como de biogás. O anuncio foi feito nessa terça-feira, 3 de dezembro, durante a abertura do Bahia Energy Meeting, em Salvador.

“Lancei um desafio ao Senai Cimatec para que trabalhem em um mapa de capacidade de geração de biomassa e na área de aterro e resíduos, tanto para produção de energia como de biogás”, disse o representante do governo da Bahia.

Renováveis – O secretário lembrou que, no início do setor eólico, o Estado adotou uma postura agressiva no segmento de energia, criando padrões de regularização fundiária e de licenciamento ambiental, além de adotar incentivos fiscais, para atrair a indústria eólica para a região. Hoje a Bahia é segundo estado com maior capacidade eólica instalada, com 4 GW instalados e mais 2 GW contratados. “A Bahia quer continuar liderando a geração das fontes renováveis”, afirmou Cavalcanti.

O CEO da Eolus Consultoria, Raphael Valverde, disse que “a energia renovável é um verdadeiro pré-sal no Nordeste”, com mais de R$ 25 bilhões investidos desde 2009 e mais de R$ 10 bilhões previstos para serem investidos no curto prazo. “Se somarmos tudo que está cadastrado na Empresa de Pesquisa Energética, são mais de R$ 50 bilhões de investimento em energia renovável, que depende apenas da retomada da economia”, afirmou.

*Repórter viajou a convite da Eolus Consultoria.