Coprel é primeira cooperativa a migrar para ACL

Contrato de 32 MW com Electra vai permitir redução estimada de 13% na tarifa em 2021. Outras cooperativas devem tomar mesma atitude

A Coprel (RS) é a primeira cooperativa de energia a migrar para o Ambiente de Contratação Livre. A Electra Energy venceu leilão promovido pela permissionária em que foram comercializados 32 MW de energia convencional. A operação de migração foi conduzida pela AlphaInfra Energia e resultou em um contrato de compra e venda de energia de R$ 500 milhões que entra em vigor em 2021. De acordo com Fernando Flach, Diretor de expansão e sócio da Alphainfra, as permissionárias compravam energia das supridoras com desconto, mas com o fim gradativo dessa condição tarifária, alternativas de mercado começaram a ser estudadas. “As cooperativas acordaram e uma das alternativas foi o mercado livre”, explica.

Ele conta que em função do êxito da Coprel, outras cooperativas já estão querendo seguir o mesmo caminho. Elas já teriam iniciado conversas para verificar a quantidade de energia que deveria ser contratada. “Estamos com uma demanda grande, sincronizando leilões. Existe uma tendência muito forte que as cooperativas busquem o mercado livre, uma energia com preço mais atrativo em função da mudança na legislação”, avisa. Ainda de acordo com Flach, os ritos normais de reajuste e revisão tarifária continuam normalmente na Agência Nacional de Energia Elétrica.

O processo envolveu quatro etapas: diagnóstico do perfil de carga, planejamento da quantidade de energia destinada ao ACL, estruturação do leilão de energia e tramitação do processo na Aneel. “Não é trivial ser inovador com a complexidade regulatória do setor elétrico e nesses mais de 15 anos na área esse projeto que reposicionou a distribuidora foi um dos mais desafiadores que atuamos”, ressalta Fernando Flach

De acordo com o Presidente da Coprel, Jânio Stefanello, o fato deve ser celebrado, já que mostra uma conquista importante da cooperativa em buscar tarifas de energia elétrica mais baixas aos seus cooperantes. A projeção é de reduzir em média 20% o valor da tarifa de energia para os cooperados nos próximos anos. Segundo ele, o foco é pensar no futuro dos cooperados e principalmente no crescimento das atividades industriais, comerciais e rurais.

Para o Diretor Geral da Aneel, André Pepitone, a licitação promovida pela Coprel, que foi a primeira entre as permissionárias a aplicar esse dispositivo, representou redução de 26% na compra de energia. Isso resultará em redução estimada de 13% na tarifa dos consumidores residenciais, em 2021. Ainda de acordo com Pepitone, a busca por eficiência que resulte em tarifas menores faz parte das exigências previstas pela Aneel no Contrato de Permissão assinado pela Coprel.