TST inaugura sistema fotovoltaico para produzir 20% da energia consumida

Com um investimento total de R$ 3,6 milhões, órgão prevê economia de quase R$ 1 milhão por ano com a iniciativa

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) anunciou que irá vai ativar, nesta quinta-feira, 5 de dezembro, um sistema de usinas fotovoltaicas para a produção de energia elétrica a partir da irradiação solar. O sistema foi instalado nos três prédios do Tribunal em Brasília (DF), e deve gerar cerca de 20% da energia que o órgão consome.

Segundo o presidente do TST e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), ministro Brito Pereira, o aproveitamento da energia solar é tendência e o Tribunal se destaca pelo protagonismo na adoção de medidas sustentáveis. “Dispomos de espaços como prédios e estacionamentos com grande exposição à luz solar que podem perfeitamente receber as usinas fotovoltaicas e gerar economias significativas nas contas de energia”, afirmou.

A instalação segue as orientações da Resolução 201/2015 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e representa mais um passo na adoção de medidas sustentáveis e no cumprimento do Plano de Logística Sustentável do Poder Judiciário. A atuação do Tribunal está alinhada à Agenda 2030, compromisso de desenvolvimento sustentável assinado pelo Brasil e por outros 193 países e coordenada pela Organização das Nações Unidas (ONU). Com um investimento total de R$ 3,6 milhões, o TST prevê economizar quase R$ 1 milhão por ano.