Aluna do CTC/ PUC-Rio vence prêmio em Simpósio da Marinha

Soraida Aguilar Vargas, venceu o prêmio do SPOLM 2019, na categoria de Pesquisa Operacional, com artigo sobre geração de energia eólica e velocidade do vento

A aluna de Pós-Doutorado em Engenharia de Produção do Centro Técnico Científico da PUC-Rio, Soraida Aguilar Vargas, venceu o prêmio de melhor artigo no Simpósio de Pesquisa Operacional e Logística da Marinha – SPOLM 2019, na categoria de Pesquisa Operacional. O estudo “Regressão quantílica: uma análise para a geração de energia eólica e velocidade do vento” tem como proposta uma abordagem estocástica da geração de energia, uma vez que usualmente é obtida uma previsão pontual através da média condicional da velocidade do vento, e a metodologia permite capturar a variabilidade inerente a esta problemática. A cerimônia de premiação aconteceu dia 06 de novembro, na Escola de Guerra Naval, Rio de Janeiro.

O estudo de Soraida Aguilar foi desenvolvido a partir de três pontos principais: regressão, previsão e otimização. Os resultados permitem capturar as incertezas em relação à geração de energia.

O concurso de artigos era composto de quatro categorias: melhor artigo geral em Pesquisa Operacional, melhor artigo geral em Logística, melhor artigo de cunho militar em Pesquisa Operacional e melhor artigo de cunho militar em Logística. A pesquisadora conta que sua pesquisa concorreu depois que o comitê avaliador indicou o estudo ao concurso, pois a diferença de outros eventos artigo submetido não tem que ser indicado para concorrer. De acordo com ela, o estudo foi submetido no Simpósio sem nenhuma pretensão além da disseminação do trabalho e duas semanas antes da cerimônia, entraram em contato comigo para confirmar a minha participação na cerimônia de premiação, pois o meu artigo tinha sido premiado.

Soraida Aguilar destaca que foi uma surpresa ser a única mulher a ser premiada no SPOLM 2019. “Não tinha percebido ser a única mulher, até que no coffee break duas jovens se aproximaram para me parabenizar pelo prêmio e por estar representando-las como mulheres. Isto é uma enorme responsabilidade, pois imagino que de alguma forma esteja inspirando outras mulheres a avançarem na sua caminhada no âmbito da pesquisa”, afirma Soraida.