Aneel aprova custos da CCEE na gestão de contas setoriais

alores de 2020 e 2021 vão cobrir gastos com a Coner, a Conta Bandeiras e a liquidação de cotas

A Agência Nacional de Energia Elétrica homologou os custos administrativos, financeiros e tributários da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, na gestão de contas setoriais para o período de 2020 e 2021. As estimativas dizem respeito a despesas de administração da Conta de Energia de Reserva e dos contratos associados a essa energia; da liquidação das cotas de usinas hidrelétricas; da liquidação financeira da receita de venda da energia das usinas Angra 1 e 2 e da Conta Centralizadora dos Recursos das Bandeiras Tarifárias.

A Aneel também aprovou valor suplementar no no valor de R$ 704 mil para a cobertura dos CAFTs a serem assumidos pela CCEE em 2019, na gestão da Coner e na administração dos contratos associados à Energia de Reserva; além de custos da liquidação da receita de venda das usinas nucleares de Angra

Para os próximos dois anos, há uma estimativa de custos da ordem de R$ 2,9 milhões (2020) e R$ 2,3 milhões (2021) da gestão da Coner e dos Contratos de Energia de Reserva. Na liquidação das cotas de garantia física das hidrelétricas, estão previstos R$ 472,7 mil (2020) e R$ 433,4 mil (2021); na liquidação de Angra, R$274,5 mil (2020) e R$ 280,7 mil (2020); e para a Conta Bandeiras os valores são R$ 422,6 mil (2020) e R$ 406,5 mil (2021).

Os recursos para a cobertura dos Cafts são repassados pelos agentes do setor à CCEE. Eles estão embutidos no valor do encargo setorial correspondente à cada conta ou no preço da energia contratada, conforme o caso