CPFL instala usina solar em hospital em São Paulo

Expectativa é que o hospital possa economizar até 190 MWh/ano

O Hospital de Caridade São Vicente de Paulo, em Jundiaí, ganhou da CPFL Piratininga uma usina solar com 138 kWp de capacidade. Ao todo, a distribuidora investiu R$ 735 mil, por meio do Programa de Eficiência Energética – CPFL nos Hospitais. A entrega da usina foi realizada nesta terça-feira, 7 de janeiro.

Segundo Rafael Lazzaretti, diretor de Estratégia e Inovação da CPFL Energia, a iniciativa visa aliviar a conta de energia da instituição ao reduzir os gastos com a fatura de energia elétrica, melhorando a gestão da unidade. A economia vai garantir investimentos em outras áreas, melhorando o atendimento e beneficiando toda a comunidade. “O CPFL nos Hospitais está alcançando um marco no Brasil, realizando o maior investimento já registrado em energia solar fotovoltaica dentro do Programas de Eficiência Energética”, afirma.

A expectativa é que o hospital possa economizar até 190 MWh/ano. O volume seria suficiente para abastecer cerca de 79 famílias no período de um ano, considerando um consumo mensal de 0,2 MWh/ano por residência.

A CPFL Energia e o Instituto CPFL lançaram o Programa CPFL nos Hospitais, iniciativa que ajuda instituições públicas e filantrópicas a reduzirem suas contas de energia elétrica. Em 2019, os investimentos somaram R$ 20,8 milhões e beneficiaram os hospitais do Instituto do Câncer de Barretos (SP),Santa Casa de Ourinhos (SP), Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (SP), Hospital de Base de São José do Rio Preto (SP), Fundação de Saúde Pública de Novo Hamburgo (RS) e Fundação Hospitalar Educacional e Social de Portão (RS).

Segundo Matheus Gomes, superintendente do hospital São Vicente de Paulo, a parceria teve início em 2017. Ele lembra que quando o hospital foi assumido havia uma dívida com a CPFL da ordem de R$ 1,8 milhão, de 2016. “Negociamos o pagamento em 60 meses e pedimos para que o hospital fosse incluído no programa de Eficiência Energética. Já pagamos 30 parcelas e a economia que teremos com a usina, irá nos ajudar a quitar as outras 30 restantes”, explicou.

De acordo com Gomes, a unidade tem investido em outras iniciativas com foco em sustentabilidade. O hospital está investindo em placas de aquecimento solar que serão usadas no aquecimento da água dos chuveiros dos quartos, na substituição das torneiras para reduzir o uso de água, implementando a assinatura eletrônica que irá reduzir o consumo de papeis e outras iniciativas neste sentido. “Estimamos que, quando todos estes projetos estiverem em prática, conseguiremos ter uma economia de R$ 40 mil mensais para o hospital”, acrescentou.