Energia tem maior impacto no IPCA de habitação

Oscilações se deram principalmente devido à mudança de bandeira tarifária, no ano a inflação oficial ficou em 4,31%

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo de 2019 acumulou variação de 4,31%. O resultado é 0,56 ponto percentual acima dos 3,75% registrados em 2018. O grupo habitação, onde energia está inserida, teve variação de 3,9%, com energia sendo responsável pelo maior impacto, de 0,19 ponto percentual, que acumulou alta de 5% no ano, embora tenha recuado em quatro meses. As oscilações se deram principalmente devido à mudança de bandeira tarifária. Desde novembro, vigoram novos valores das bandeiras amarela, vermelha patamar 1 e vermelha patamar 2, a cada 100 quilowatts-hora consumidos.

O IPCA em dezembro subiu 1,15%, variação maior que a de novembro, quando havia registrado 0,51%. O recuo de 4,24% na energia elétrica colaborou com a queda de 0,82% no item habitação. Houve redução tarifária nas capitais Porto Alegre (RS) a partir de 22 de novembro e de 6% e em Rio Branco (AC), com redução de 4,67% a partir de 13 de dezembro. De acordo com o IBGE, esse foi o maior resultado para um mês de dezembro desde 2002, quando o IPCA ficou em 2,10%. Em dezembro de 2018, a taxa foi de 0,15%.