UHE Jirau garantirá neutralização de carbono no Rio Open Tênis

Usina controlada pela Engie cederá créditos de carbono numa parceria que compensará cerca de 1.080 toneladas de gases estufa

Pela primeira vez em sua história, o Rio Open, um dos maiores evento de tênis da América do Sul, será neutro em emissões de CO2. O torneio contará com a cessão de crédito de carbono da Engie e de outras ações da organização do evento, numa parceria que compensará cerca de 1.080 toneladas de gases estufa, o que corresponde ao plantio de 6.600 árvores por ano. Os créditos são gerados pela Hidrelétrica de Jirau, que tem como acionistas a Engie, com 40% majoritários, e Eletrosul, Chesf, e Mizha Participações S.A, cada uma com 20% do capital.

As emissões do evento foram estimadas considerando todas as etapas da competição, da montagem à desmontagem, deslocamento de atletas e equipe técnica e o consumo adicional de energia elétrica pelo Jockey Club Brasileiro durante o torneio, que acontece de 15 a 23 de fevereiro, no Rio de Janeiro. Ao final do torneio será realizado o balanço final das emissões, chegando ao número efetivo da quantidade de CO2 a ser compensada.

O acordo entre Engie e o Rio Open é inédita e contribui para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), segundo o CEO Maurício Bähr. “Temos como estratégia global liderar a transição energética rumo a uma economia de baixo carbono e a parceria segue essa linha o que é muito relevante, tanto pelo tamanho e o impacto do evento, quanto pela visibilidade que ele gera para os ODS”, destaca. O projeto integra o Rio Open Green, um plano de iniciativas verdes da competição, que também inclui a gestão eficiente de resíduos, com redução, reciclagem e reutilização.