Cemig GT e Cepel firmam acordo para modernizar Centro de Controle

Parceria prevê implementação da plataforma SAGE, que irá permitir o monitoramento do sistema de geração e transmissão da empresa em tempo real

O Cepel e a Cemig GT firmaram contrato para a modernização completa do Centro de Operação do Sistema (COS) da companhia, que passará a contar com a plataforma SAGE (Sistema Aberto de Gerenciamento de Energia), que suportará a operação em tempo real de toda a rede de transmissão e as plantas de geração da concessionária mineira, que conta atualmente com um sistema de supervisão e controle desenvolvido internamente e que, embora atenda aos seus requisitos atuais de operação, demanda atualização para lidar com os desafios que se apresentam.

Nos últimos meses, equipes técnicas do Cepel e da empresa conduziram uma análise detalhada de possíveis arquiteturas de integração, de modo a desenhar uma solução que permita uma migração suave entre as plataformas e garanta a continuidade da operação durante a transição. Henrique Siqueira de Castro, gerente do Centro de Operação de Geração e Transmissão da Cemig, destaca o foco da companhia na segurança, eficiência operacional, qualidade e inovação tecnológica. “Nesse sentido, a implantação do SAGE como ferramenta para a operação dos ativos de G&T está totalmente alinhada à estratégia da empresa e trará, sem dúvidas, excelentes resultados para ambas as partes”, declarou.

Na avaliação de Raul Sollero, diretor de P&D do Cepel, o acordo tem como premissa a permanente inovação, com a aplicação do estado da arte nas tecnologias de automação, digitalização e aplicações de inteligência artificial para pleno apoio à missão crítica de operação em tempo real de uma grande empresa. “A arquitetura modular e flexível do SAGE já demonstrou ser capaz de suportar plenamente esses avanços para um sistema elétrico cada vez mais diverso, menos previsível e mais exigente”, ressalta.

De fato, a plataforma é utilizada há mais de 20 anos pelas empresas do Sistema Elétrico Brasileiro, como o ONS, Chesf, Eletrosul, Eletronorte e CTEEP, tendo como característica de projeto permitir a constante evolução, o que possibilita sua adaptação conforme às necessidades de cada companhia e também o porte de aplicativos específicos para a nova plataforma.

No caso a adoção do sistema do Cepel propiciará a atualização das ferramentas de operação, em particular daquelas de análise de redes em tempo real, além da introdução de um moderno simulador para treinamento de operadores – TopSim e a implantação de um centro de contingências totalmente sincronizado. “Estabeleceremos padrões para que a própria equipe da Cemig GT seja capaz de desenvolver e integrar novas aplicações ao sistema”, assinala Ayru Leal, chefe do Departamento de Automação de Sistemas do Cepel.

Outras funcionalidades

Além da supervisão e controle de todas as instalações da Cemig GT, o novo sistema contará com robusta plataforma EMS (Energy Management System), dedicada a determinar, monitorar e otimizar a condição operativa do sistema elétrico em tempo real. O módulo SAGE EMS dispõe de ferramentas para a análise da segurança operativa do sistema, bem como de ferramentas de otimização destinadas a auxiliar o usuário na tomada de decisões, sugerindo medidas corretivas e/ou preventivas. As mesmas funções também estão disponíveis aos usuários em modo de estudo, permitindo a simulação e/ou análise de uma condição operativa passada, corrente ou prevista.

Também será implantada sobre a nova plataforma a ferramenta de sequenciamento e automação de manobras do SAGE, que proporcionará grande agilidade à efetivação de manobras em geral e maior velocidade nos procedimentos de recomposição. Ainda serão incorporadas na solução diversas aplicações especificadas pela empresa, como o sistema Preparação Automática de Subestações, o Controle Automático de Tensão, o Sistema de Monitoramento de Contingências e aplicativos para o Monitoramento da Geração, Programação Energética e Previsor de Cargas.

A previsão é de que todo o processo seja concluído em 2021. Por tratar-se de uma substituição de sistema crítico, está sendo elaborado um plano de migração minucioso, que possibilitará uma transição suave, garantindo a continuidade da operação em tempo real durante todo o processo. O trabalho será feito a quatro mãos, pelos engenheiros da Cemig e pela equipe de desenvolvedores do SAGE.

“Muito mais que um fornecimento de um sistema de supervisão e controle, estabeleceu-se uma parceria entre as empresas, onde a equipe técnica da Cemig GT participará ativamente do desenvolvimento do projeto”, conclui Ayru Leal.