Primeira emissão de debêntures da Órigo Energia fica em R$ 50 milhões

Prazo será de sete anos e companhia planeja investir o montante em novas usinas solares

A Órigo Energia aprovou a emissão de R$ 50 milhões em debêntures, movimento que faz parte da estratégia da companhia de seguir avançando no segmento de energias renováveis. Atualmente, a empresa de geração distribuída conta com nove fazendas solares em Minas Gerais já conectadas à rede de distribuição de energia elétrica, além da operação de biogás recentemente iniciada em Pernambuco.

“Estamos em um momento de forte expansão do nosso negócio e essa captação acontece em uma fase importante. Seguimos ampliando nosso trabalho com as plantas solares e intensificando nossa atuação para democratizar a energia limpa em todo o país”, disse o CFO da companhia, Rogério Marchini.

A oferta pública foi coordenada pelo banco Itaú BBA na modalidade CVM Nº476, direcionada para investidores profissionais e títulos que expiram em sete anos. A operação é um marco para a Órigo, por ser a primeira emissão da empresa no mercado de capitais brasileiro, e tem como intuito familiarizar o investidor com seu modelo de negócio inovador, numa sequência planejada para o próximo período. Entre os principais acionistas da companhia estão nomes como Mitsui, TPG ART e MOV.

Sobre os resultados operacionais, o executivo destaca o ritmo acelerado de crescimento, que colocam a empresa em uma capacidade atual de gerar o benefício sustentável e economia na conta de luz para 3 mil pequenas e médias empresas do estado. Em Pernambuco, com o biogás, a expectativa é de fechar o primeiro semestre deste ano com 1.000 clientes.

“Atingimos uma quantidade relevante de clientes em Minas Gerais e o formato começa a ganhar força na região e em todo o Brasil”, afirmou Marchini. Segundo ele a intenção é ampliar ainda mais a atuação da companhia para que os consumidores possam conhecer melhor esse formato inovador de acesso à energia renovável e possam participar da modalidade.