Hospital mantido por Itaipu fará 26 mil testes da Covid em Foz do Iguaçu

Binacional também pode remanejar 1,5 mil possíveis infectados para hotéis. Eletronorte instala salas de backup, ONS redobra cuidado com funcionários presenciais e EDP e CEB realizam mais doações a comunidades vulneráveis

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itapu, vai ajudar Foz do Iguaçu a testar cerca de 10% de sua população quanto ao avanço da Covid-19, num projeto destinado a pacientes sintomáticos de síndrome respiratória grave. O acordo, que prevê a aplicação de 26 mil testes, foi definido nesta quarta-feira, 15 de abril, durante reunião no HMCC, onde a binacional também se comprometeu a estudar a possibilidade de realizar um convênio com o município para manter até 1,5 mil possíveis infectados em quartos de hotel. Uma nova rodada de conversa sobre o tema deve acontecer nos próximos dias.

Segundo a companhia, o hospital adquiriu 6 mil testes PCR com resultado entre duas e três horas. Dois mil já estão na instituição, sendo que 500 foram colocados à disposição do município para testagem em pessoas com problemas respiratórios graves. A prefeitura, por sua vez, adquiriu 20 mil exames TRPCR e aguarda a chegada do primeiro lote com dois mil. A ideia é aplicar esses testes todos durante dez semanas.  Até essa quarta-feira, a cidade tinha registrado 35 casos e outros 69 estavam sendo investigados. Desse total, três estão internados numa área exclusiva no HMCC.

A binacional já aplicou cerca de R$ 15 milhões em medidas de combate à pandemia, com parte desses recursos sendo usada na reestruturação do HMCC e outra na compra de equipamentos e insumos para o enfrentamento da crise na 9ª Regional de Saúde – que, além de Foz, abrange ainda outros oito municípios: Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, Itaipulândia, Missal, Ramilândia, Serranópolis do Iguaçu, Matelândia e Medianeira.

Foz do Iguaçu também vem buscando o credenciamento do Hospital Municipal Padre Germano Lauk no Laboratório Central do Estado (Lacen), para fazer novos testes. Até que isso ocorra, os casos suspeitos do novo coronavírus na cidade deverão ser testados na unidade mantida pela hidrelétrica. De acordo com o fluxo de testagem definido, a partir dessa quinta-feira (16) as amostras coletadas pela Vigilância Epidemiológica da região serão encaminhadas para o hospital, e não mais para o Lacen, em Curitiba.

Hospital tem 15 leitos de UTI exclusivos para internação de pacientes graves pela Covid-19 (foto: Itaipu)

Escola Internacional para Sustentabilidade

Também nesta quarta-feira (15) foi oficializado a execução do projeto Escola Internacional para Sustentabilidade (EIS), uma iniciativa promovida pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) que visa atender a demanda de intercâmbio do conhecimento acumulado pela usina durante seus mais de 40 anos de trajetória no desenvolvimento de ações socioambientais em seu território de influência. Para marcar o início das atividades, foram abertas as inscrições para o nível básico do Curso de Gestão para Sustentabilidade Territorial, uma das formações que serão ofertadas gratuitamente pelo projeto.

A capacitação profissional é resultado da sistematização de maneira didática dos conceitos, as experiências, os projetos e programas desenvolvidos pela hidrelétrica ao longo de sua história. Segundo o diretor-geral brasileiro da usina, general Joaquim Silva e Luna, mesmo antes de existir uma legislação específica no país sobre o tema, a companhia já tinha um compromisso forte com as questões ambientais. “Nossas atividades nessa área já foram reconhecidas nacionalmente e internacionalmente”, destacou.

Silva e Luna frisou ainda que a Escola é uma “ferramenta importante para divulgação das boas práticas desenvolvidas pela Itaipu e para disseminação dos conteúdos da Agenda 2030”. Já para o diretor de coordenação, general Luiz Felipe Carbonell, o objetivo é que os cases da UHE inspirem outras instituições públicas e privadas no “planejamento de boas práticas e políticas públicas com foco no desenvolvimento sustentável e no alcance das metas previstas nos ODS”.

Dividido em três níveis (básico, intermediário e avançado), o curso à distância é direcionado a agentes públicos, tomadores de decisão, estudantes, voluntários e cidadãos interessados em participar da construção da sustentabilidade em seu ambiente de atuação. A capacitação conta ainda com os níveis intermediário e avançado, no formato semipresencial – incluindo visitas a projetos desenvolvidos por Itaipu na região da Bacia do Paraná 3 (BP3). Para estes níveis, as inscrições poderão ser feitas a partir de julho.

O PTI foi responsável pela estruturação da capacitação, a partir da elaboração de metodologias, técnicas e recursos audiovisuais utilizados em processos de ensino-aprendizagem. “Nossa intenção é que a sociedade e os profissionais se apropriem dessa ferramenta no planejamento das iniciativas que promovam o desenvolvimento sustentável das cidades”, enfatizou o general Eduardo Garrido, diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu. Ao todo, serão abertas 200 vagas nesta primeira etapa, com novas turmas previstas para maio, incluindo os idiomas inglês e espanhol.

Eletronorte instala salas de isolamento em centros de operação

 A despeito da pandemia e para aumentar a confiabilidade da operação do sistema de transmissão de energia em sua área de concessão, a Eletronorte implementou Salas de Backup em seus quatro centros de Operação regionais, localizados no Pará, Maranhão, Mato Grosso e Rondônia. Esses ambientes isolados servem para minimizar os riscos de contaminação e propagação da Covid-19 entre os colaboradores durante as trocas de turno, colaborando assim para elevar a robustez operacional do Sistema Interligado Nacional (SIN).

A orientação é estratégica e integra o Plano de Atendimento a Emergências (PAE) da companhia, que objetiva utilizar esses ambientes físicos caso algum membro apresente sintomas da doença. Assim, a sala de controle do Centro de Operação é esvaziada e outros colaboradores são chamados para assumir o sistema, ocupando os espaços Backup, até que a sala principal seja descontaminada por uma empresa especializada.

Segundo o gerente de Departamento de Supervisão e Gestão da Operação em Tempo Real, Cláudio Vinícius Duarte Cabral, a integração entre as equipes das Regionais e da Sede foi ponto fundamental para a implantação das salas num curto espaço de tempo. “Por meio de reuniões em home office articulamos um planejamento integrado, contribuindo com a rápida instalação das salas Backup pelas equipes técnicas”, destaca.

A superintendente de Engenharia de Operação de Geração e Transmissão, Mônica Braga Teixeira, lembra que iniciativa ainda contempla, como procedimento alternativo, a transferência das atividades para outro Centro de Operação Remoto responsável por assumir a operação do sistema de um centro infectado. “Atualmente, com os dois procedimentos para atendimento à contingência (salas Backup e Centro Remoto), aumentamos a robustez do processo de operação da Empresa e, consequentemente, asseguramos a continuidade da transmissão de energia elétrica para o Brasil”, declarou.

Agentes tem que manter o mínimo de funcionários presenciais para garantir operações (foto: ONS)

ONS redobra cuidados com 140 profissionais presenciais

Com cerca de 140 funcionários essenciais que precisam trabalhar presencialmente nas salas de controle, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) vem incorporando novos hábitos de prevenção, como testagem para o vírus e distribuição de um kit com Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como máscaras, óculos e luvas. A vacinação contra a gripe também foi iniciada.

Responsável pela coordenação e controle da operação das instalações de geração e transmissão de energia no país, o Operador tem centros de monitoramento espalhados por quatro estados: Rio de Janeiro, Brasília, Recife e Florianópolis. Independentemente da localidade, as práticas adotadas são as mesmas.

Anteriormente a essas duas medidas, o ONS já tinha implementado um check list para descartar sintomas da doença entre seus colaboradores, com a medição da temperatura antes de iniciar cada turno e uma equipe de apoio sendo responsável por limpar cuidadosamente cada estação de trabalho antes que o outro colega inicie a sua jornada.

EDP doa R$ 500 mil para o Espírito Santo

Já a elétrica EDP anunciou que irá realizar um aporte extra de R$ 500 mil dedicado exclusivamente para iniciativas de enfrentamento à propagação da doença em comunidades vulneráveis do Espírito Santo. Esta é a segunda doação realizada diretamente pela empresa para o governo estadual, somando um total de R$ 1,5 milhão.

A concessionária já havia doado R$ 1 milhão no último dia 7 de abril, com os recursos sendo repassados à Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim para a compra de insumos de proteção individual, equipamentos e medicamentos para o atendimento a pacientes com a enfermidade.

Funcionários da CEB arrecadam tonelada de alimentos

No Distrito Federal, além de seguir atuando em prol do fornecimento energético, alguns empregados da CEB arrecadaram uma tonelada de alimentos para serem entregues na comunidade Santa Luzia. Segundo Manoel de Souza Lima, gerente da área de Serviços (GRSE) e um dos responsáveis pela ação, a ideia surgiu justamente no dia a dia do trabalho.

“Escolhemos essa comunidade pelo que nossas equipes observam durante o trabalho. Como sabemos que é uma região bastante carente, fizemos contato com o líder comunitário para que ele nos apontasse as famílias que não têm como trabalhar para se sustentar tendo que respeitar a política de isolamento social”, explica Lima.