Energia injetada em distribuidoras da Neoenergia cresceu 0,09% no primeiro trimestre

Coelba e Elektro registraram queda, enquanto Celpe e Cosern tiveram aumentaram percentual

A energia injetada na rede das distribuidoras da Neoenergia cresceu 0,09% no primeiro trimestre do ano. Foram 17.423 GWh injetados. De acordo com a empresa, a maior base de clientes foi amenizada por temperaturas mais baixas, por um maior volume de chuvas e redução no consumo na última semana de março em função da Covid-19.

Na Coelba (BA), que teve 6.303 GWh injetados, a queda ficou em 2,02% no trimestre. A classe residencial cresceu 0,3%, enquanto a industrial teve acréscimo de 5,5% e a comercial recuou 5,3%. A classe rural teve queda de 18,5%, devido a menor demanda de irrigação. Na Celpe (PE), com 4.574 GWh, o crescimento na energia injetada ficou em 3,53%. Na classe residencial, a subida ficou em 3,6%; o segmento industrial cresceu 4,4%. A classe comercial teve queda de 3,1% e a rural recuou 7,1%, também por menor demanda de irrigação.

No Rio Grande do Norte, a Cosern registrou aumento de 1,93% na energia injetada. A única classe que teve aumento foi a residencial, com 3,3%. A industrial teve queda de 0,9%, a comercial de 3,5% e a rural caiu 1%. Na Elektro (SP), que teve queda de 0,83% na energia injetada, o segmento residencial houve aumento de 0,2% e o industrial subiu 1,6%. Na classe comercial, houve recuo de 3,8% e na classe rural, a baixa ficou em 6,6% por menor demanda de irrigação.