Elétricas aumentam esforços e doações em meio ao avanço da pandemia

Enel Brasil aporta R$ 23,4 milhões em apoio a unidades de saúde, executivos da EDP doam parte dos salários, Energisa entrega 6,7 mil máscaras e Siemens Gamesa ajuda Cruz Vermelha e hospitais de quatro países

Com o avanço da crise global humanitária imposta pela propagação do coronavírus, as companhias elétricas seguem se movimentando para mitigar os efeitos da pandemia nas regiões onde atuam e ajudar de alguma forma nesse momento difícil que não tem data para acabar. Na última quinta-feira (16), a Enel Brasil anunciou que destinará R$ 23,4 milhões a ações que incluem distribuição de itens de higiene a comunidades vulneráveis, doação de equipamentos de proteção individual a profissionais de saúde, apoio a pequenos grupos produtivos para confecção de máscaras e desenvolvimento de cursos online.

Como parte do movimento #JuntosNaMesmaEnergia, a empresa também irá entregar, por meio do seu braço de renováveis, a Enel Green Power, equipamentos para leitos de UTI dos hospitais regionais no interior do Piauí, estado onde estão sendo construindo seus maiores parques de geração solar e eólica. Testes rápidos, cestas básicas e kits de higiene também serão doados à população nos arredores dos parques. Recentemente, a empresa também destinou R$ 3 milhões para produção de testes rápidos feitos pela Fiocruz, em parceria com outras empresas do setor elétrico brasileiro.

Outra ação é a doação de 13.800 máscaras artesanais de proteção para instituições que atendem pessoas pobres no Rio de Janeiro, São Paulo e Ceará. O material está sendo confeccionado pelos grupos produtivos dos três estados, por meio do projeto Enel Compartilha Empreendedorismo, uma das iniciativas desenvolvidas pela companhia para promover a geração de renda em comunidades.

Ainda dentro da plataforma, alguns projetos foram adaptados para que as comunidades atendidas por essas ações não deixassem de ser contempladas durante o período de isolamento social. Palestras educativas e oficinas estão sendo transformadas em videoaulas online, com orientações sobre consumo consciente de energia, dicas de segurança com a rede elétrica durante a quarentena, instruções sobre empreendedorismo, além de recomendações sobre prevenção ao novo coronavírus.

Eficiência energética para hospitais – Do montante anunciado pela empresa, R$ 11,2 milhões serão dedicados a obras de eficiência energética em 14 hospitais e unidades de saúde que têm atendido pacientes infectados pela Covid-19 nos estados do Rio, São Paulo, Goiás e Ceará. As obras incluem reforma de sistemas de iluminação e ar condicionado das unidades, contribuindo para maior conforto dos profissionais e pacientes e para maior eficiência nos gastos das instituições com energia elétrica.

Enel prevê R$ 11,2 mi em obras de eficiência energética para alas especializadas no tratamento da Covid (foto: Sanderson Pereira)

Executivos da EDP doam salários

Para elevar o aporte inicial do edital da EDP voltado a iniciativas de combate e prevenção à pandemia em regiões vulneráveis, colaboradores da distribuidora anunciaram que vão doar parte de seus salários para constituir um fundo social de apoio aos projetos. A meta é chegar a uma arrecadação de R$ 1 milhão. Num primeiro momento, 75 gestores – entre gerentes executivos, diretores e vice-presidentes – foram convidados a doar cotas de R$ 5 mil, R$ 10 mil e R$ 15 mil. Numa segunda rodada, a campanha será estendida aos demais colaboradores – que poderão doar valores variando entre R$ 100, R$ 250 e R$ 500 – bem como a familiares e amigos dos funcionários.

Com a contribuição dos executivos, a empresa deve chegar R$ 9,3 milhões destinados a apoiar ações do poder público e de entidades no edital EDP Solidária Covid-19. Em apenas uma semana, foram mais de 600 projetos inscritos, motivando a companhia, por meio de seu Programa de Voluntariado, a organizar uma campanha de arrecadação de doações entre os colaboradores.

Fernanda Pires, diretora de Pessoas, Digital e Sociedade da EDP no Brasil, salientou que a empresa assumiu o compromisso de não demitir sem justa causa durante o período, além de não realizar cortes na remuneração e adiantar os benefícios de vale-alimentação, refeição e a primeira parcela do 13º salário. “O objetivo é dar maior segurança às nossas pessoas durante um período tão turbulento. Por isso mesmo, nossos colaboradores se mostraram fortemente engajados com a possibilidade de poder contribuir para ajudar quem mais precisa durante esta crise”, salientou.

Energisa doa 6,7 mil máscaras

Já o Grupo Energisa está doando 6.740 máscaras do tipo N95 a hospitais que são referência no tratamento da Covid-19 nos 11 estados de concessão da distribuidora, como parte da campanha Energia do Bem. Já para suprir a demanda do público interno, a elétrica encomendou 252.500 unidades, sendo 177.500 produzidas por empresas do Polo Têxtil de Cataguases (MG), cidade sede da Energisa, como uma forma de estimular e apoiar negócios locais onde o grupo atua.

“As máscaras N95 estão sendo bastante necessárias nos hospitais que tratam os pacientes com Covid-19. Decidimos ajudar a suprir essa carência que se repete em todo o Brasil”, afirma Daniele Salomão, Vice-Presidente de Gente e Gestão do Grupo, informando que a remessa será distribuída neste mês a todos os colaboradores do Grupo que não estão trabalhando remotamente de casa. Inicialmente, os EPIs estão sendo entregues às categorias que têm contato mais próximo com o público externo: leituristas, almoxarifes, vigilantes e recepcionistas. Conforme o andamento, os demais colaboradores também passarão a receber as máscaras.

Funcionários da Siemens Gamesa lideram resposta global da companhia com novas campanhas

Siemens Gamesa ajuda Cruz Vermelha e  hospitais de quatro países

Em resposta à crise ocasionada pela disseminação do coronavírus, a Siemens Gamesa lançou uma campanha para permitir que suas equipes ajudem na luta global contra a pandemia, através da doação de parte de suas remunerações para a Federação Internacional da Cruz Vermelha (IFRC), que lidera um amplo programa de apoio à crise em todo mundo. Além disso, a multinacional prometeu dedicar 1 milhão de euros para aquisição de suprimentos vitais aos prestadores de serviços de saúde, incluindo equipamentos de proteção individual, que serão comprados pelas próprias redes de compras e distribuição da empresa.

Os recursos serão direcionados a hospitais nas comunidades em que a empresa opera e que foram particularmente afetados pela propagação do vírus. Em primeira instância, estão instituições na Espanha (Madri e Bilbau), França (Le Havre), Reino Unido (Hull) e EUA (Flórida, Iowa e Kansas). Uma reserva significativa será mantida para implantação em outros países, para quando houver maior demanda à medida que a pandemia avançar.

A companhia também informou que irá reorientar seu plano de responsabilidade social corporativa, o ‘SGRE impact’, para esforços de recuperação da doença, permitindo a indicação de projetos por parte dos funcionários, convidados a propor ações de solidariedade no atual momento. Por fim, foi lançado o um programa educacional em que os colaboradores podem gravar vídeos motivacionais sobre assuntos de ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM), bem como digitalização ou energias renováveis, objetivando ajudar estudantes de todas as idades confinadas em casa.

“O coronavírus é enorme em seu alcance global, mas também muito pessoal em seu impacto, afetando a todos nós. Tenho orgulho de que nossa equipe esteja tomando a iniciativa de liderar nossa resposta global a esta crise e estou satisfeito em desempenhar um papel importante nas comunidades em que temos laços estreitos. Como empresa, faremos nossa parte para ajudar a combater a crise e nos colocar de volta no caminho da criação de um futuro sustentável ”, disse o CEO Markus Tacke.