Covid: Parceria prevê R$ 5 milhões em apoio a vulneráveis no Norte do país

Ação liderada pela Evoltz busca minimizar impactos da pandemia à indígenas, quilombolas e pequenos agricultores no Pará. NTS doa R$ 6 mi para habilitar 60 UTIs no RJ, Enel SP energiza hospital de campanha e Zeg participa de auxílio à 30 mil caminhoneiros

A empresa Evoltz Participações anunciou na última sexta-feira (24) que irá apoiar os povos vulneráveis do território da Calha Norte do Rio Amazonas e na Terra do Meio em Altamira, Pará. Essas populações, fragilizadas por suas condições sociais e econômicas, tendem a sofrer ainda mais nesse momento de avanço do coronavírus pelo país, sobretudo com a lotação dos leitos nas capitais Manaus e Belém, além de outras cidades da região Norte, que passam a contar com a necessidade de iniciativas de auxílios urgentes para evitar que pessoas se exponham à contaminação e piorem ainda mais esse quadro.

De forma a colaborar, a companhia aprovou recentemente um projeto para fortalecer e expandir o programa Origens Brasil, uma rede que conecta esses produtores da Amazônia a empresas e consumidores, buscando valorizar a economia da “floresta em pé” e os povos que vivem dela. O projeto será apoiado com aportes de até R$ 5 milhões a serem realizados pela Norte Brasil Transmissora de Energia, uma sociedade entre a Evoltz e a Eletronorte, em contrapartida a um financiamento recebido do BNDES.

Com base nessa parceria, o programa atua para facilitar o apoio às organizações necessitadas. Parte dos produtores membros da rede encontram-se na região da Calha Norte paraense, que abriga o maior e mais preservado trecho contínuo de floresta do estado, sendo o lar de povos indígenas, quilombolas, ribeirinhos e agricultores familiares que habitam as áreas protegidas do território.

Outra parte encontra-se na Terra do Meio, uma vasta região de florestas localizada na bacia do rio Xingu em Altamira (PA), onde vivem centenas de famílias à margens dos rios e indígenas. A localidade integra um mosaico de áreas protegidas de quase 8,5 milhões de hectares, formando o Corredor Xingu de Diversidade Socioambiental.

Não bastasse a pandemia, estes povos sofrem pressões históricas das atividades ilegais e predatórias em suas terras, situação agravada pela atual crise e governo, que diminuiu a fiscalização de crimes como grilagem, garimpo e desmatamento. Dessa forma, para minimizar os impactos, a empresa destinará um total de R$ 689,5 mil, sendo  R$ 466,5 mil para financiar o plano emergencial da Cooperativa Mista dos Povos e Comunidades Tradicionais da Calha Norte – COOPAFLORA e pouco mais de R$ 223 mil para o plano emergencial da Rede de Cantinas da Terra do Meio, ambos elaborados com apoio do IMAFLORA e ISA, respectivamente, organizações de apoio técnico às organizações locais.

 

Além da pandemia, povos do Norte sofrem pressões históricas de atividades ilegais e predatórias em suas terras (Antonio Cruz: Agência Brasil)

Parte montante aplicado permitirá a compra de 2.664 cestas básicas com itens de alimentação, higiene pessoal e limpeza para 1.500 famílias, resultando em aproximadamente 12 mil pessoas impactadas na região, que não precisarão se deslocar para as cidades em busca desses itens.

Outra parte da doação irá para apoiar o fomento das atividades agroextrativistas dessas populações, gerando renda (economia da floresta em pé) e permitindo que as famílias permaneçam em suas comunidades, em um contexto em que muitos não conseguem acessar seus benefícios sociais na cidade sem arriscar a contaminação de toda a comunidade.

NTS direciona R$ 6 milhões para habilitar leitos de UTI em hospitais de Japeri e Nova Iguaçu

Outra ação relevante no dia foi da condutora de gás natural Nova Transportadora do Sudeste (NTS), que irá direcionar R$ 6 milhões para a habilitação de aproximadamente 60 leitos de Unidades de Tratamento Intensivo e enfermaria nos hospitais Policlínica Itália Franco, de Japeri (RJ), e Hospital Modular Estadual, em fase de construção em Nova Iguaçu (RJ), regiões onde a empresa opera.

Para gerenciar o repasse às iniciativas e a compra e entrega dos produtos, foi feita uma parceria com o Instituto da Criança e o movimento União Rio, com o valor sendo destinado à ativação ou reativação de leitos de UTI e leitos clínicos nessas unidades hospitalares, bem como à aquisição de aparelhamentos, em especial respiradores e monitores, além de equipamentos de proteção individual – todos voltados ao tratamento de pacientes com o novo coronavírus.

Enel energiza hospital de campanha em São Paulo

Em duas semanas, a Enel Distribuição São Paulo finalizou os trabalhos para viabilização da energia elétrica ao Hospital de Campanha Ibirapuera, localizado no Complexo Desportivo Constâncio Vaz Guimarães, destinado no momento para atendimento de casos da Covid-19 na capital paulista. A obra foi realizada com total prioridade, antecipando a solicitação do Governo do Estado de São Paulo, sendo concluída na última sexta-feira (24).

A concessionária afirmou que os serviços foram realizados com a rede energizada, sem impacto nos demais clientes do entorno, destacando a instalação de um sistema de telecontrole com equipamento de alta tecnologia, que permite a realização de manobras automáticas (self healing) por meio de sistemas ou operações remotas feitas pela Central de Operações da companhia, em caso de falta de energia.

As quatro distribuidoras do grupo têm um plano específico de ação para os serviços essenciais, como hospitais e postos de saúde, priorizando no momento as ligações novas desses locais e solicitando às prefeituras a atualização de cadastro dessas unidades. O plano operativo inclui a inspeção dos circuitos – redes de distribuição de energia – para corrigir possíveis defeitos, manutenção preventiva de equipamentos que atendem hospitais e postos de saúde.

Também há o atendimento prioritário às unidades referência e verificação da rede de energia em locais que serão transformados em hospitais, como estádios, além do reforço nas unidades de saúde para a necessidade de testes regulares em seus sistemas próprios de contingência elétrica, como os seus geradores ou grupos geradores.

 

Levantamento da Aneel com empresas do setor apurou algumas ações solidárias em andamento (Aneel)

Zeg participa de auxílio à 30 mil caminhoneiros em SP

Por sua vez, a Zeg, do Grupo Capitale, firmou uma parceria com as empresas Copagaz, Ecovias, Jasmine, Natura, Scania e com a Polícia Rodoviária do Estado de São Paulo para auxiliar os caminhoneiros que precisam continuar trabalhando em meio à disseminação do vírus. A ação ocorrerá no quilômetro 40 da Via Anchieta, onde serão entregues refeições e kits de higiene com os itens básicos de proteção. A estimativa do projeto é conseguir apoiar pelo menos 30 mil motoristas.

A despeito da crise, esses profissionais tem enfrentado problemas de abastecimento de itens básicos durante o período de quarentena, pois quase todos os estabelecimentos próximos às estradas estão fechados. “É importante que cada um faça sua parte para que o país continue funcionando; os motoristas de caminhão estão na estrada, correndo riscos, para que não falte abastecimento de produtos na cidade. É por isso que estamos envolvidos neste projeto”, justifica o CEO da ZEG, Daniel Rossi.

A estimativa é das empresas entregarem cerca de 500 kits e 500 refeições por dia. As ações para refeições acontecerão diariamente entre 11h às 14h, sendo adquiridas exclusivamente de restaurantes locais para garantir sustentabilidade econômica dos estabelecimentos que já costumam receber os caminhoneiros. Os kits serão entregues das 11h às 20h, para evitar aglomerações.

Durante o período, também foi informado que os organizadores da ação também irão receber alimentos não-perecíveis, de qualquer pessoa que queira realizar o gesto de solidariedade. Os mantimentos serão entregues aos caminhoneiros que passarem pelo local após às 18h, visto durante a noite ser mais difícil de encontrar disponibilidade de alimentação.

WEG lança app que detecta possíveis estágios da Covid

Em acordo com a Prefeitura de Jaraguá do Sul, a Weg lançou nesta quarta-feira (29) um aplicativo de triagem para ajudar na identificação e monitoramento de pacientes com a Covid-19. Segundo a companhia, a ferramenta, que será operada pela Secretaria de Saúde da cidade, identifica possíveis estágios da doença, indicando quem deve procurar a rede de saúde e ajudando assim no controle da enfermidade na região. Outra função é elaborar estatísticas de informe epidemiológico, com dados sobre a quantidade de casos confirmados, suspeitos, descartados, recuperados e em análise.

Disponível nas versões Google Android e Apple iOS, o App Covid Monitor é gratuito e pode ser acessado periodicamente por todos. Para auxiliar no monitoramento periódico, a aplicação enviará aos usuários uma notificação, lembrando da realização diária da autoavaliação. Rodrigo Fumo Fernandes, Diretor de Engenharia e Inovação Tecnológica da WEG, explicou que a solução foi doada à Prefeitura de Jaraguá do Sul para auxiliar a rede de médicos, enfermeiros, técnicos e demais profissionais de saúde da cidade.

Aplicativo será utilizado pela Secretaria Municipal de Saúde de Jaraguá do Sul (SC) (Imagem Weg)

“Ao acessá-lo o usuário deverá responder algumas perguntas e no final receberá uma análise da sua condição de saúde e instruções de como proceder”, conta o executivo. A ação se soma a outras que a multinacional catarinense tem realizado para frear à propagação da doença e recuperar pacientes, como a contínua fabricação de álcool gel para abastecer os hospitais de Jaraguá e Guaramirim e agora no início da produção de 500 ventiladores pulmonares.

Energisa realiza festival de lives

Finalizando o resumo das ações do dia, o Grupo Energisa anunciou que promoverá, entre os dias 1 e 8 de maio, o Festival Fique em Cena, com apresentações musicais de bandas e artistas brasileiros ao vivo pelo seu canal no YouTube. O evento faz parte do Movimento Energia do Bem, liderado pela empresa, e contará com um canal de doações para que os espectadores contribuam financeiramente com os artistas locais da Zona da Mata mineira, João Pessoa (PB) e Nova Friburgo (RJ), que precisaram interromper os concertos nas Usinas Culturais da empresa por conta do avanço da pandemia.

Os destaques são os espetáculos “Dança Sinfônica”, do Grupo Corpo, Marco Antônio Guimarães e da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, além dos concertos da Orquestra Ouro Preto “Quem perguntou por mim”, em homenagem a Fernando Brant, e “Valencianas”, com Alceu Valença. Também haverá a exibição do longa-metragem “Maria do Caritó”. Já no encerramento do evento, no dia 8 de maio, o público poderá contar com uma programação especial com apresentações ao vivo de Emmerson Nogueira, Otto, Dudu Lima, Aline Calixto, Sandra da Portela e Pereira da Viola.