Ciocchi e novos diretores tomam posse no ONS

Alexandre Zucarato e Marcelo Prais também assumiram diretorias de Planejamento e TI, Relacionamento com Agentes e Assuntos Regulatórios.

O engenheiro Luiz Carlos Ciocchi assumiu nesta segunda-feira, 18 de maio, a cadeira de diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico. Junto com ele, também chegaram ao órgão Alexandre Zucarato, escolhido como diretor de Planejamento e Marcelo Prais, para a diretoria de TI, Relacionamento com Agentes e Assuntos Regulatórios. Eles foram eleitos para o quadriênio 2020-2024. A cerimônia de posse também ocorreu em formato virtual e contou com a presença do Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. A Diretoria do ONS é integrada por um diretor-geral e mais quatro diretores. Os três profissionais recém-empossados atuarão em parceria com Sinval Gama, diretor de Operação e Jaconias Aguiar, diretor de Assuntos Corporativos. Ambos com mandatos até 2022.

Então presidente de Furnas, Ciocchi sucedeu Luiz Eduardo Barata Ferreira, que ocupava a posição desde 2016. Graduado em Engenharia Eletrônica pela Faculdade de Engenharia Industrial e pós-graduado em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas, o executivo é especializado em gestão, planejamento estratégico e desenvolvimento organizacional. Foi presidente da Emae, vice-presidente da AES Brasil e AES Argentina e atuou ainda na montadora Ford.  O novo diretor-geral chega ao ONS entusiasmado com o novo desafio. “Inicio o meu ciclo no ONS com o desafio de melhorar um trabalho que já é muito bom. O órgão é reconhecido por sua excelência, tanto nacionalmente quanto internacionalmente, então aprimorar as nossas práticas, nossa interação com o mercado e nossos colaboradores, será realmente uma grande missão”, reiterou.

Na mesma data, Alexandre Zucarato, que veio da área de Estratégia e Inovação da Engie Brasil, assumiu a diretoria de Planejamento. Ele ocupou a posição de Francisco Arteiro. O novo diretor se mostrou bastante motivado pelos desafios e oportunidades que vai ter pela frente. Segundo ele, no curto prazo há a complexidade de administrar os impactos econômicos da crise atual. Para ele haverá uma grande pauta de modernização setorial que precisará encontrar uma solução para assegurar um suprimento adequado, num contexto de aumento da penetração de fontes renováveis intermitentes e de ampliação do poder de escolha dos agentes.

No ONS desde 2000, Prais já passou por diversos cargos no Operador, sendo que o último de assistente da área que agora assume como diretor, a de TI, Relacionamento com Agentes e Assuntos Regulatórios, . Ele sucede Álvaro Fleury. “Tenho muito orgulho de assumir essa diretoria. Minha gestão vai ser marcada pela modernização das atividades e aperfeiçoamento do trabalho. Quero dar continuidade aos projetos que já vinham sendo desenvolvidos pelo Álvaro. Tenho ainda o desafio de aumentar a interação com as áreas de negócio e também a projeção do departamento no ambiente externo”, declarou.