Totum adota blockchain para emissão de RECs

Segundo estudo do portal Statista, tecnologia passará da casa de US$ 1,2 bilhão para US$ 23,3 bilhões já em 2023

O Instituto Totum, responsável pela coordenação do Programa de Certificação de Energia Renovável no Brasil, informou que passou a utilizar a tecnologia blockchain para emitir os RECs. Essa é uma iniciativa inédita e que garante ainda mais segurança ao processo de  certificação. A entidade argumenta que a digitalização da indústria de energia é uma tendência mundial e cita estudo do portal alemão Statista que prevê o crescimento do uso dessa tecnologia que está na casa de US$ 1,2 bilhão para US$ 23,3 bilhões em 2023. “Com a utilização de blockchain no setor de energia renovável será possível desenvolver tecnologias de interconexão digital, como a internet das coisas (IoT), para captar dados de geração em tempo real”, explicou Fernando Lopes, do Totum em comunicado.