PLD sobe 14% nos submercados SE/CO e Sul

Nas demais regiões, preço spot ficou no piso regulatório de R$ 39,68/MWh

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica informou que o Preço de Liquidação das Diferenças, para o período de 30 de maio a 5 de junho, manteve-se no piso de R$ 39,68/MWh nos submercados Nordeste e Norte, mas subiu 14% no Sudeste/Centro-Oeste e Sul, passando de R$ 91,41/MWh para R$ 104,09/MWh.

Segundo a CCEE, o principal fator responsável pelo aumento do PLD foi a expectativa de redução de afluências para os submercados Sudeste/Centro-Oeste.

Os limites de recebimento de energia da região Sudeste provenientes do Nordeste e do Norte foram atingidos em todos os patamares, mantendo o descolamento dos preços médios dos submercados Sudeste/Centro-Oeste e Sul em relação aos demais.

Destaca-se que, para os meses de junho e julho, a carga prevista teve redução média de aproximadamente 1.790 MW médios e 2.995 MW médios, respectivamente. Já para a primeira semana operativa de junho, em relação a revisão anterior, a expectativa para o sistema foi diminuída em cerca de 38 MW médios, com aumento nos submercados Sul (+114 MW médios), Nordeste (+199 MW médios) e Norte (+135 MW médios). Já para o submercado Sudeste/Centro-Oeste foi revista para baixo (-486 MW médios).

Os níveis dos reservatórios do SIN ficaram cerca de 762 MW médios mais elevados em relação ao esperado na semana anterior. O aumento foi verificado no Sul (+477 MW médios), no Nordeste (+207 MW médios) e no Norte (+282 MW médios). Já para o submercado Sudeste/Centro-Oeste (-204 MW médios) os níveis ficaram abaixo do previsto.

O fator de ajuste do Mecanismo de Realocação da Energia (MRE) estimado para o mês de maio de 2020 passou de 93,7% para 94,3%. A previsão para junho é que este fator fique em torno de 72,3%.

O ESS previsto para maio de 2020 está em R$ 28,5 milhões, sendo R$ 18,4 milhões devido a restrições operativas, R$ 4,9 milhões devido a segurança energética e R$ 5,2 milhões a Unit Commitment. Para junho de 2020, a previsão é de R$ 10,9 milhões devido a expectativa de despacho termelétrico por restrições operativas.

Fonte: CCEE