NTS doa R$ 6 milhões em aparelhos para hospitais do Rio de Janeiro

Companhia viabilizou leitos de CTI, UTI e enfermaria para pacientes da Covid no Hospital de Japeri e segue para a próxima etapa de doações na Baixada Fluminense

A Nova Transportadora do Sudeste (NTS) anunciou que está investindo R$ 6 milhões na compra de aparelhos hospitalares para unidades de saúde do estado do Rio de Janeiro, especialmente as localizadas na Baixada Fluminense. A iniciativa acontecerá em duas etapas, sendo a primeira parte dos recursos destinados para o aparelhamento da Policlínica Itália Franco, na cidade de Japeri.

A doação já permitiu que 10 leitos de CTI, 10 de UTI e 20 de enfermaria fossem habilitados para atendimento de pacientes com a Covid-19. Entre os equipamentos direcionados estão dez ventiladores respiratórios, 20 monitores, 40 camas hospitalares com colchão, além de outros itens necessários para região de atuação da companhia.

A secretária de Saúde do Município de Japeri, Rosi Moraes, afirmou que o hospital contava com apenas dois respiradores, cinco leitos de enfermaria e nenhum de UTI antes da doação. A média diária de atendimentos na unidade, que ainda recebe pacientes das vizinhas Seropédica, Queimados e Paracambi, fica entre 300 e 350.

“Conseguimos reformar a estrutura da Policlínica recentemente, o que significa que temos espaço, mas não conseguimos investir em equipamentos. Com essa doação, vamos poder atender nossos cidadãos, sem precisar contar com transferências”, completou a secretária, informando que pacientes que estavam na lista de espera já foram beneficiados com a iniciativa.

Para gerenciar a compra e entrega dos produtos hospitalares, a NTS fez uma parceria do Instituto da Criança e o apoio do movimento União Rio e tem estimulado ações de solidariedade entre os seus colaboradores, que na última semana entregaram mais de 80 cestas básicas a instituições de caridade que atendem famílias em situação de vulnerabilidade social em Nova Iguaçu (RJ).

A empresa ainda declarou que vem mapeando quais municípios do Rio foram mais afetados pelo coronavírus, para assim determinar mais adequadamente os recursos da segunda fase do programa, que vai destinar mais R$ 3 milhões para aparelhamento de hospitais.