Copel obtém R$ 432 milhões do BNDES para obras de transmissão

Financiamento corresponde a 77% dos investimentos previstos para implementação de três subestações e LTs; pagamento poderá ser feito em 23 anos

A Copel fechou um contrato de financiamento de R$ 432,1 milhões com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para construção e implementação do conjunto de ativos de transmissão incluídos no Lote E do leilão realizado em 2015 pela Aneel, informou a companhia em comunicado ao mercado na última quarta-feira (10). O apoio financeiro terá juros equivalentes à variação do IPCA, com spread de 4,82% ao ano, e será amortizado em até 283 parcelas mensais, com vencimento final em 15 de dezembro de 2043.

A operação por parte da área de Geração e Transmissão da empresa já havia sido aprovada pelos conselhos corporativos, e o descontingenciamento do limite de crédito para o setor público junto ao Conselho Monetário Nacional foi obtido na semana passada. Já a carta do BNDES, que comprova o registro e a validade contratual, foi entregue na última quarta-feira (10)

Com um investimento de R$ 560,9 milhões, o Lote E contempla as subestações Curitiba Centro, Medianeira e Andirá Leste, todas em 230/138 kV, além das linhas de transmissão Curitiba Leste-Blumenau, que irá ligar o Paraná a Santa Catarina, Curitiba Centro – Uberaba, essa subterrânea, e Baixo Iguaçu-Realeza Sul.

“Os recursos são equivalentes a aproximadamente 77% do CAPEX total do Lote E e serão destinados a conclusão das obras e recomposição do caixa desembolsado na construção dos empreendimentos”, afirma a estatal paranaense na publicação, afirmando que já foram aplicados R$ 424,4 milhões no projeto desde 2016, e que a previsão é de mais R$ 135,8 milhões para sua conclusão, datada para março de 2021.