Angra 2 será desligada para reabastecimento de combustível

Operação com contingente mínimo em função da pandemia inicia na próxima segunda-feira (22) e tem previsão de retorno em 22 dias

A Eletronuclear informou que irá desconectar a central nuclear Angra 2 do Sistema Interligado Nacional (SIN) à meia-noite da próxima segunda-feira (22) para reabastecimento de combustível, com previsão de duração de 22 dias. Em tempos de pandemia, a companhia optou por reduzir ao mínimo necessário o escopo das atividades, mantendo apenas o essencial para o trabalho na unidade.

Uma parada típica na usina envolve a realização de aproximadamente 4.500 atividades programadas, número que caiu para 1.100 entre ações de descarga e recarga do núcleo e trabalhos de manutenção, inspeções, além dos testes requeridos nas especificações técnicas do ativo.

Em nota, a companhia afirmou que está aproveitando a experiência de usinas nucleares ao redor do mundo que executaram e estão executando ou planejando paradas de reabastecimento e manutenção neste período. Além disso, declarou que realiza uma atualização continua junto a organismos internacionais, como a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e a Associação Mundial de Operadores Nucleares.

O diretor de Operação e Comercialização da Eletronuclear, João Carlos da Cunha Bastos, ressalta que esta será uma parada inédita e difícil, salientando a necessidade de um pilar formado por profissionalismo, capacitação e comprometimento. “Manter nossa geração disponível é essencial para o Brasil neste grave momento que estamos vivendo, e também para assegurar o equilíbrio econômico da empresa”, avalia.

O volume de contratações para uma paralisação comum fica em torno de 1.100 profissionais nacionais e aproximadamente 90 internacionais. Já nessa foram apenas 170 trabalhadores brasileiros e cinco especialistas estrangeiros. O grande desafio será realizar cerca de 20% das atividades de uma parada típica com em torno de 15% do pessoal normalmente disponível.

Para conseguir este feito, a estatal trabalha em uma grande mobilização dos empregados de Angra 1, que serão alocados na segunda unidade, formando uma equipe de especialistas que coordenará, supervisionará e executará as atividades planejadas.