Covid-19: Santo Antônio doa mais de 82 mil itens em Rondônia

Empresa que opera UHE aplicou R$ 750 mil para entregar máscaras, EPIs, além de testes ao governo estadual e comunidades indígenas. Em São Paulo, Go Solar restringe trabalho presencial a 15% dos colaboradores

A Santo Antônio Energia, empresa que opera a hidrelétrica Santo Antônio (3,5 GW), anunciou que irá entregar 62.500 máscaras no próximo sábado (20) para Secretaria Estadual de Educação de Rondônia, que vai destinar o material para proteção aos estudantes da rede pública de ensino quando as aulas presenciais retornarem.

Também serão entregues ao governo estadual 2.600 itens de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e 2.000 aventais cirúrgicos. Ademais, o Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (Lacen) receberá da empresa kits que permitirão a realização de 4.000 diagnósticos da Covid-19.

Para a Prefeitura de Porto Velho serão doados nos próximos dias mais de 15 mil EPIs e mil testes rápidos. Em atendimento a um pedido do Ministério Público Federal (MPF), a companhia também vai direcionar cestas básicas, itens de higiene pessoal, materiais de limpeza, máscaras, álcool em gel e combustível para motor gerador de energia elétrica para comunidades indígenas do estado.

Os materiais já estão sendo adquiridos pela usina e serão repassados para o MPF, que fará a entrega para as comunidades Karitiana, Karipuna e Cassupá-Salamã. Até o momento, os recursos empreendidos pela Santo Antônio somam R$ 750 mil.

Comunidades indígenas Karitiana, Karipuna e Cassupá-Salamã serão contempladas com doações (Gente de Opinião)

Trabalho presencial na Go Solar fica em 15% do contingente

A Go Solar, unidade de negócio voltada para o segmento fotovoltaico da Golden Distribuidora, afirmou nesta sexta-feira, 19 de junho, que está operando com 30 funcionários na linha de frente dos projetos da empresa, que conta com 200 profissionais, com 170 deslocados para home office.

O CEO da companhia, Davi Saadia, disse que os executivos, diretores, gerentes e colaboradores tiveram de aprender a lidar com o trabalho remoto, pois cada um possuía uma realidade única, mas que o processo não demorou para ser incorporado. “Como somos uma empresa de tecnologia, conseguimos operacionalizar tudo muito rapidamente e sem maiores problemas”, declarou.

Saadia também comentou que a adaptação às novas regras foi tão rápida que a Golden Distribuidora registrou apenas um caso de covid entre os trabalhadores que ficaram no escritório na capital paulista.