Tarifas no Tocantins ficarão em média 7,17% mais caras

Impacto da revisão tarifária da Energisa TO será maior para o consumidor em baixa tensão, que terá aumento médio de 8,54%

As tarifas de energia elétrica no Tocantins ficarão em média 7,17% mais caras a partir de 4 de julho, como resultado da revisão tarifária da Energisa TO. O processo tarifário concluído pela Aneel nesta terça-feira (30) terá impacto médio de 8,54% para o consumidor atendido em baixa tensão, onde estão os residenciais, e de 1,79% para os de alta tensão.

A revisão permite o reconhecimento de custos operacionais e a remuneração de investimentos prudentes realizados pela concessionária. No reposicionamento da tarifa, a parcela de distribuição ficou em 6,6%; encargos setoriais em 0,16%; compra de energia em 0,04%; receitas irrecuperáveis 0,10%; transmissão em 2,37% e componentes financeiros em 2,47%. Foram retirados da tarifa 4,58% em financeiros cobrados do consumidor nos últimos 12 meses.

A Aneel chegou a discutir a possibilidade de usar recursos do empréstimo da Conta Covid para reduzir os impactos das revisões tarifárias previstas para 2020, mas a proposta não foi incluída na regulamentação da conta. A Energisa Tocantins estavam entre as empresas que receberiam esses recursos.

A agência estabeleceu ainda a trajetória de perdas técnicas e comerciais da empresa até 2024 e os limites dos indicadores de continuidade de qualidade DEC e FEC, que medem a duração e a frequência das interrupções no fornecimento de energia,  para o período de 2021 a 2025. A Energisa Tocantins atende 604 mil unidades consumidoras em 139 municípios de Tocantins e tem receita anual de R$ 1,2 bilhão.