Elétricas inovam no combate ao coronavírus

Desafio da pandemia precisará da tecnologia para ser definitivamente superado

As empresas de energia elétrica têm anunciado diversas iniciativas de doação de recursos e equipamentos de proteção individual para os brasileiros que estão na linha de frente do combate ao coronavírus. O desafio da pandemia, no entanto, precisará da tecnologia para ser definitivamente superado.

A Enel X, braço do grupo Enel dedicado a soluções inovadoras, em parceria com a Riba, empresa de mobilidade elétrica, desenvolveu um sistema de entrega de marmitas para atender comunidades carentes na Zona Sul de São Paulo.

A Enel X forneceu quatro motos elétricas e contratou entregadores para realizar a logística de entrega das refeições produzidas na própria comunidade. Os alimentos estão sendo doados aos moradores da região.

“Trabalhamos em parceria com Paraisópolis há muitos anos e, nesse momento de pandemia, entendemos a necessidade de apoiar e contribuir com diversas ações que a liderança local desenvolveu. A doação diária de marmitas, já feita pela comunidade, é uma ação que nos motiva muito. Por esse motivo e pensando na primeira necessidade das pessoas que é a alimentação, disponibilizamos quatro scooters elétricas e contratamos motoqueiros, moradores da comunidade, para trabalharem pelo período de três meses nessa importante ação”, ressalta Solange Mello, responsável por Projetos de Sustentabilidade da Enel Distribuição São Paulo.

Já a Itaipu Binacional, em parceria com Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) e Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), com apoio da Receita Federal, entregaram robôs de desinfecção de ambiente para três hospitais do Oeste do Paraná.

Os equipamentos são eficazes contra vírus, fungos e bactérias. Para a desinfecção, os robôs utilizam a tecnologia de radiação ultravioleta do tipo C (UVC), que é capaz de destruir a capa proteica e o material genético de qualquer tipo de vírus, assim como fungos e bactérias. Um modelo similar vem sendo utilizado no Complexo Turístico Itaipu (CTI) desde o início de junho.

Para o diretor-superintendente do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), general Eduardo Garrido, “essa é uma contribuição para agregar uma solução ao trabalho de excelência que já vem sendo realizado pelos profissionais da saúde, que têm sido motivo de orgulho para todos nós, sempre com o intuito maior de salvar vidas”, destacou.