EDP terá aumento tarifário médio de 8,02%

Conta Covid, créditos tributários e ajuste na cota da CDE amorteceram o reajuste, que poderia ter chegado a 21,9%

A EDP Espírito Santo foi autorizada a aplicar aumento médio de 8,02%,  com efeito  de 10,32% em média para os consumidores conectados em alta tensão e  de 7,05% na média para os de baixa tensão. O impacto do reajuste anual da distribuidora seria de 21,9% se não tivessem sido retirados da tarifa custos financeiros que seriam pagos pelo consumidor.

O empréstimo do Conta Covid contribuiu para amortecer a tarifa em 6,41%, enquanto o uso de créditos tributários do PIS e da Cofins reduziu a conta em 4,82%. Também foi incluído um ajuste na cota da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE Uso) que representou redução de 2,41%. O crédito tributário repassado aos consumidores por solicitação da própria concessionaria é resultante da decisão do Supremo Tribunal Federal de excluir o ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins.

Na composição da tarifa, 5,44% correspondem a encargos setoriais, 4,25% a custos de transmissão, 4,44% a compra de energia e 2,61% à parcela de distribuição. Foram retirados 4,13% em componentes financeiros que seriam pagos nos próximos 12 meses, além de 4,58% em financeiros que estavam na tarifa desde agosto do ano passado.

A EDP ES fornece energia para cerca de 1,6 milhão de unidades consumidoras em 70 municípios capixabas.